Cruzeiro já não pode atingir menor pontuação para acesso na história dos pontos corridos da Série B

Se as chances de acesso do Cruzeiro já eram ínfimas, elas chegaram ao fim com a derrota para o Remo, por 3 a 1, nessa quinta-feira (28). Com o revés no Independência, o time celeste já não pode atingir mais a menor pontuação de acesso à Primeira Divisão em toda a Era dos Pontos Corridos da Série B.

De acordo com o departamento de matemática da UFMG, a probabilidade de uma equipe subir à Primeira Divisão neste ano com 57 pontos é de 2,4%.

A distância da Raposa para o G-4 é de 14 pontos. Para ainda ter alguma chance de acesso, além de vencer todos os seus jogos, o time celeste teria de torcer para que integrantes do grupo de acesso deixassem de pontuar nas últimas rodadas, assim como contar com tropeços de outros oito times que estão acima na tabela.

Briga do Cruzeiro é contra queda para Série C

Agora resta ao Cruzeiro tentar acabar de vez com qualquer possibilidade de rebaixamento. Na próxima segunda-feira (1º), às 19h, a equipe volta a jogar no Independência. O adversário será o Vila Nova, que está na décima colocação.

Com a derrota para o Remo, a Raposa caiu para a 13ª colocação. A distância para a zona de rebaixamento é de sete pontos, mas pode cair para quatro, já que Londrina e Vitória ainda entrarão em campo pela 32ª rodada neste sábado (30), diante de Confiança e Ponte Preta. Paranaenses e baianos jogam fora de casa.

Pontuação mínima para subir para a Série A, ano a ano, e quem foi o quarto colocado:

  • 2006 – 61 pontos – América-RN
  • 2007 – 59 pontos – Vitória
  • 2008 – 63 pontos – Grêmio Barueri
  • 2009 – 65 pontos – Atlético-GO
  • 2010 – 63 pontos – América-MG
  • 2011 – 61 pontos – Sport
  • 2012 – 71 pontos – Vitória
  • 2013 – 60 pontos – Figueirense
  • 2014 – 62 pontos – Avaí
  • 2015 – 65 pontos – América-MG
  • 2016 – 63 pontos – Bahia
  • 2017 – 64 pontos – Paraná
  • 2018 – 60 pontos – Goiás
  • 2019 – 62 pontos – Atlético-GO
  • 2020 – 61 pontos – Cuiabá

Fonte: Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.