Com saída de Mancini, América-MG se consolida como vitrine de técnicos no futebol brasileiro

Últimos três comandantes do Coelho receberam propostas para deixar o clube mineiro

As boas campanhas recentes do América-MG transformaram a equipe em uma vitrine para os treinadores. Os trabalhos dos últimos três comandantes despertaram o interesse de grandes clubes brasileiros, que fizeram de tudo para contratá-los. O alvo da vez foi Vagner Mancini, que acertou com o Grêmio nessa quinta-feira.

Mas o primeiro caso é o de Felipe Conceição, em 2019. Depois de levar o time a uma campanha meteórica de arrancada, saindo da zona de rebaixamento da Segunda Divisão e ficando a uma vitória em casa do acesso, o técnico foi anunciado pelo Bragantino, campeão da Série B e que ascendeu à Primeira Divisão com um investimento milionário.

No Coelho, Conceição teve um aproveitamento de 64,3%. Em 29 partidas sob seu comando, foram 16 vitórias, oito empates e cinco derrotas. Jovem, foi o escolhido para dar sequência ao trabalho no Massa Bruta após a saída de Antônio Carlos Zago para o Japão.

Com Lisca, o substituto, a tônica foi a mesma. Vice-campeão da Segunda Divisão e semifinalista da Copa do Brasil em 2020, ganhou crédito nacional. Foi cotado no Inter, no Santos e até no Cruzeiro, onde teria a missão de levar o time de volta à elite, algo que fez com o América naquele ano.

Prestigiado, teve o contrato renovado por mais uma temporada. No entanto, o começo ruim do América no Brasileirão deste ano acabou fazendo com que ele balançasse no cargo, e acabou pedindo demissão em junho.

Em um ano e meio no Lanna Drumond, foram 78 jogos – 37 triunfos, 26 igualdades e 15 derrotas -, um aproveitamento de 58,5%. Depois, acertou com o Vasco para a sequência da Segunda Divisão, mas acabou caindo após uma série de resultados ruins.

Após a saída de Lisca, quem acertou com o time mineiro foi Vagner Mancini. E, novamente, um bom trabalho. A equipe, que chegou a ser a última colocada do Campeonato Brasileiro, atingiu uma invencibilidade de oito jogos, escalou a tabela e hoje vive o sonho de disputar a Sul-Americana no ano que vem.

Mas tudo que é bom dura pouco. Um dia depois de a sequência invicta ser encerrada pelo Internacional, o treinador americano acertou com o Grêmio até o fim de 2022 com o objetivo de livrar o tricolor gaúcho do rebaixamento. Contratado em junho, foram 21 partidas, com sete vitórias, nove empates e cinco derrotas – aproveitamento de 47,6%.

Conforme apurou o ge, a diretoria do América já se reuniu para escolher quem ocupará o cargo. A expectativa da cúpula alviverde é que a decisão seja tomada ainda nesta sexta-feira. O próximo compromisso da equipe é neste sábado, às 21h (de Brasília), no Independência.

Fonte:ge.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.