No encalço de Jô, Guilherme e Gabriel, Hulk tenta não ‘bater na trave’ na luta por marcas históricas

A bola na trave, em pênalti desperdiçado aos 41 minutos do primeiro tempo do duelo de ida das semifinais da Libertadores, com o Palmeiras, na última terça-feira (21), no Allianz Parque, não apenas foi crucial para o Atlético ficar só no empate em 0 a 0, como também tirou de Hulk a possibilidade de se aproximar de três marcas históricas.

Com sete bolas na rede no torneio, o Vingador tem a chance de se tornar o maior goleador do Galo na história da competição e o maior da equipe em uma só edição da copa. (Confira abaixo quem são os maiores artilheiros do Atlético na Copa Libertadores)

Além disso, ele poderia encostar em Gabriel, do Flamengo, na briga pela artilharia da atual Libertadores. O rubro-negro tem dez gols na conta.

Marcas no Galo

O avante que soma mais gols pelo clube mineiro no torneio é Jô, com 11 tentos, sendo sete em 2013, incluindo um nos 2 a 0 sobre o Olimpia, do Paraguai, na final. Naquele ano, aliás, o centroavante celebrou o título e a artilharia do torneio. Em 2014, computou mais quatro gols com o uniforme preto e branco.

Outro avante, Guilherme foi às redes nove vezes em 2000, se tornando o principal goleador do Atlético em uma só edição da competição e o segundo no ranking geral de artilheiros da agremiação na copa.

Restando, no máximo, dois confrontos nesta Libertadores – se eliminar o Palmeiras, o Alvinegro chega à decisão em partida única – Hulk pode igualar ou até superar essas marcas no atual torneio, embora a missão de ultrapassar Jô seja mais difícil.

Nesta terça-feira (28), às 21h30, no Mineirão, o time e a Massa contam novamente com o camisa 7. E que, desta vez, nem o jogador, nem o Galo, “batam na trave” na disputa pelo título.

Fonte: Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.