Mancini vê pontos positivos, mas analisa empate do América-MG: “Perdemos dois pontos”

Coelho buscou a igualdade no placar, mas enfrentou a Chape, lanterna do Brasileiro, com um jogador a mais; vitória significaria saída da zona de rebaixamento

O América-MG entrou na Arena Condá para enfrentar a lanterna Chapecoense, e com chance de sair do Z-4 do Brasileiro. Era vencer fora de casa e respirar na Série A. Mas em um jogo cheio de reviravoltas, decisões do VAR, e com um mais em campo, o Coelho ficou apenas no 1 a 1 (veja os melhores momentos acima).

“Apenas” é a palavra que se encaixa no discurso do técnico Vagner Mancini para analisar os efeitos do placar. Ainda que o América, na verdade, tenha era evitado uma derrota, já que sofreu gol aos 41′ do segundo tempo, e empatou o jogo seis minutos depois.

– (O América) Perdeu dois pontos, não tenho dúvida disso. Tivemos o jogo na mão, não só por ter um jogador a mais em campo e o volume de jogo foi mais significativa para o América. Tivemos mais posse de bola, mais finalizações, foi uma equipe que namorou mais com o gol ao longo do jogo, mas não chegamos ao nosso objetivo que era levar os três pontos.

O Coelho criou grandes chances de marcar, mas viu a Chapecoense se superar. A partida começou com Alan Ruschel sendo expulso pela arbitragem, após carrinho por trás em Geuvânio. Mas o VAR interviu e o vermelho virou amarelo. No segundo tempo, Kadu acertou o rosto de Ramon, em desarme. O árbitro mandou seguir. Porém, novamente o VAR apareceu. Na revisão, o zagueiro da Chape foi expulso.

Na cobrança da falta de Ademir, o América abriu o placar, com Bauermman. Entretanto, novamente o VAR acionou a arbitragem e indicou impedimento. Gol anulado do Coelho. Já era reta final de jogo. Um vacilo da zaga e Anderson Leite cabeceou na saída de Cavichioli. O América evitou o que seria a primeira vitória da Chape em 16 rodadas, com Rodolfo aproveitando cruzamento de João Paulo.

Se vencesse, a equipe mineira iria para 17 pontos, ultrapassando Sport e Cuiabá, saindo da zona de rebaixamento. Com 15 pontos, está em 18º lugar, a mesma pontuação do Leão da Ilha do Retiro. Veja a classificação da Série A aqui.

A entrevista de Mancini

Avaliação do resultado:

– Valeu, de forma positiva, naquele momento do jogo, você toma um gol… Se bem que tínhamos tempo para isso. Fomos, empatamos e quase viramos a partida. Lamentamos, tivemos volume de jogo interessante, mas bobeamos num lance que originou o gol da Chapecoense.

Dificuldade de criar oportunidades:

– Chapecoense fez bom jogo, teve seus méritos na partida. O América tentou de todas as formas atacar por dentro, por fora. Girar bem. Hoje tivemos um fator muito bom que foi a virada de jogo. Mudamos bem o corredor da partida. Nos momentos em que sofríamos com marcação forte. E o jogo foi se encaminhando dessa forma. Embora tivéssemos mais posse de bola e sendo mais agressivo, a Chapecoense teve chances boas. Diante do que foi a partida, a gente tem que saber avaliar. Eu acho que é um ponto que nos deixa chateado, porque tínhamos grande oportunidade de somar mais uma vitória. E tivemos um jogador a mais no segundo tempo. Isso tinha que ter sido depositado dentro da partida dentro de uma forma mais significativa. É o único senão que eu faço. Mas o América tem mostrado evolução muito satisfatória em todos os sentidos.

Alan Ruschel e Felipe Azevedo em ação pelo América-MG — Foto: João Zebral/América-MG

Alan Ruschel e Felipe Azevedo em ação pelo América-MG — Foto: João Zebral/América-MG

Chance de sair do Z-4:

– Eu acho que é isso que eu disse. Era uma grande oportunidade de vencer a partida com um homem a mais. A equipe bobeou num lance onde o lateral foi batido para trás, recuamos a bola até o Matheus, que pegou mal na bola e gerou o gol da Chapecoense, faltando cinco, seis minutos de jogo. Então, isso influencia diretamente no fim da partida. Faltou um pouco mais de capricho nas finalizações. Alto numero de chances desperdiçadas, o que nos daria grande chance de vitória.

O que faltou no time?

– Acho que, após a expulsão… Antes, o que eu diria é que o nosso volume foi bom e faltou capricho nas finalizações. Após a expulsão do Kadu, o América tinha que abrir mais o jogo pelas laterais, nos daria oportunidade de finalizar dentro da área, mas também vindo da linha de fundo, que facilita para o atacante. O América teve volume, influência no jogo. Quis vencer a partida. Não perde há quatro, cinco jogos. Temos pontos positivos. Sempre que é feito ajustes, cobramos dos jogadores, mas reconhecemos. Embora tenhamos desperdiçado dois pontos hoje, a evolução da equipe vem jogo a jogo.

Fonte: ge.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.