Hulk e Nacho convivem com jejuns, mas inversão de papeis os mantêm em alta no Atlético

O bordão no futebol que diz que “atacante vive de gols” não se aplica a Hulk no Atlético. Com o empate em 0 a 0 diante do Boca Juniors, na última terça-feira (13), no estádio La Bombonera, o centroavante completou dez partidas seguidas sem balançar as redes. Mas em momento algum o camisa 7 foi contestado pela Massa por conta do jejum. Até porque o jogador continua colaborando ativamente no setor ofensivo.

Além disso, o fato de outros atletas estarem assumindo essa responsabilidade demonstra que não existe uma “Hulkdependência” no quesito bolas na rede.

Garçom

Nesse período de ‘seca’ de Hulk, que supera dois meses, o centroavante alvinegro colaborou diretamente em vários tentos anotados pelo time. Dos 12 que o Galo marcou nesse intervalo de tempo, cinco contaram com assistência do Vingador. Isso sem contabilizar a ajuda na construção de outras jogadas, vide a dos gols de Jair, no 1 a 0 sobre o São Paulo, e Dylan Borrero, no 1 a 0 em cima do América.

Essa participação ativa catapultou Hulk ao status de principal garçom do Atlético na temporada, com nove passes a gol, três a mais que Savarino e quatro a mais que Nacho Fernández.

Troca de papeis

E se Hulk está há dez jogos sem marcar, mas vem sendo cirúrgico nas assistências, Nacho convive com uma situação oposta. Contratado para ser o maestro atleticano, o argentino está há seis duelos sem dar uma assistência. Por outro lado, nesse intervalo que compreende o jejum do camisa 7, o hermano foi quem mais estufou as redes: três vezes.

Além de Nacho, marcaram pelo Galo nesses dez jogos Zaracho (2), Savarino (2), Jair, Nathan, Tchê Tchê, Gabriel e Dylan Borrero.

Próximos desafios

Contra o Corinthians, neste sábado (17), às 19h, na Neo Química Arena, não é certo que Hulk estará em campo. Isso porque Cuca deverá escalar um time cheio de reservas. A prioridade passa a ser a partida de terça-feira (20), às 19h15, contra o Boca Juniors, no Mineirão, valendo uma vaga nas quartas de final da Copa Libertadores.

Ou seja, diante do Timão, o elenco atleticano será colocado à prova novamente. Perante os xeneizes, o atacante vai tentar dar fim ao tabu ou, se não for possível, ser o maestro novamente. E Nacho tentará reviver seus principais momentos de River Plate em clássicos contra o Boca.

Fonte: Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.