Joia do América, Carlos Alberto celebra momento no time profissional: ‘um sonho’

Dispensado do Flamengo, atacante é uma das promessas do América, e acumula passagens pela Seleção Brasileira

Carlos Alberto Gomes da Silva Filho, ou simplesmente Carlos Alberto. Natural de João Pessoa, na Paraíba, o atacante é uma das principais promessas das categorias de base do América. Presença constante nas convocações da seleção brasileira da categoria, o jogador fez sua estreia como profissional com 17 anos, e nesta temporada marcou seu primeiro gol no time principal.

O atacante iniciou sua carreira no futsal e aos 12 anos migrou para os gramados, somente dois anos depois alcançou um grande clube do futebol brasileiro: o Flamengo. Foram dois anos na base Rubro-Negra, em 2016 no Sub-14, e 2017, no Sub-15. Porém, não se firmou e foi dispensado. Com a ajuda da mãe, seguiu no objetivo de ser jogador de futebol.

Pouco depois, em abril de 2018, passou a integrar a equipe Sub-17 do América. No ano seguinte, Carlos Alberto subiu para o time Sub-20 e, na reta final da temporada, foi incorporado ao grupo profissional. A primeira aparição do atacante no time profissional foi em 2019, ainda com Felipe Conceição; mas foi Lisca quem promoveu o jogador ao time principal e proporcionou a primeira oportunidade.

Sua estreia no profissional foi na última temporada, na vitória americana por 2 a 0 sobre o Coimbra, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro; Carlos foi acionado aos 43 minutos do segundo tempo. Foram três jogos pelo time principal em 2020, sendo dois pelo Estadual e um pela Série B.

Neste ano, fez seu primeiro jogo como titular no profissional (no Estadual), e também sua primeira partida na Série A, na derrota por 1 a 0 para o Flamengo. No jogo contra o Santos, no Independência, entrou no lugar de Ribamar e marcou seu primeiro gol como profissional aos 48 minutos do segundo tempo, tento que sacramentou a vitória americana sobre o Peixe. Veja o gol:

“É um sonho que tive. Aos 19 anos conquistar tudo, mesmo sendo pouco, mas que conquistei. Acho que muitos queriam estar no meu lugar, mas ainda busco muito mais. É algo de repente, as coisas vão acontecendo e a ficha vai caindo devagar, mas é algo que eu esperava porque trabalho bastante”, contou o jogador.

Carlos Alberto tem como inspiração Richarlison, o dono da camisa 7 do Everton, da Inglaterra. O atacante foi formado nas categorias de base do América, foi revelado por Givanildo Oliveira, em 2015; na sequência foi vendido ao Fluminense. No atual elenco do Coelho, o jovem tem como referência um dos líderes da equipe.

“Existem muitos [que são referência]. A grande maioria gosta muito de conversar comigo, me dar conselhos, mas coloco nessa lista o Juninho, por ser praticamente um irmão. O Ademir por ser da posição, gosta muito de me dar conselhos, além do Ribamar. Estão sempre me ajudando”, ressaltou o jogador.

Adaptado ao novo estilo de jogo do Coelho, o atacante espera ter mais chances com Vagner Mancini, que está no comando da equipe há quase um mês.

“Desde a base, a gente acostuma a pressionar adversário, a fazer que eles joguem na bola longa. Essa pressão com o professor Mancini me ajudou bastante pois com pouco tempo para treinar foi algo onde eu já sabia fazer e estava bem habituado. Se for para ter [a titularidade] e dar continuidade vou estar preparado”, disse.

Pelo América, Carlos Alberto tem 69 jogos (14 pelo profissional) e 20 gols. Tem contrato com o clube até o final de 2022.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.