Galo enfrenta o Boca por vaga nas quartas da Libertadores e pela marca de cem jogos pelo torneio

Campeão mineiro; garantido nas oitavas da Copa do Brasil; terceiro colocado do Brasileirão, a três pontos do líder Palmeiras; e dono da melhor campanha geral da fase de grupos da Libertadores. É com essas credenciais que o Atlético vai para os dois duelos com o Boca Juniors, pelas oitavas de final da competição sul-americana. Confrontos esses que não valem “somente” uma vaga nas quartas.

Se levar a melhor na disputa – o embate de ida será nesta terça-feira (13), às 19h15, em La Bombonera, e o segundo, uma semana depois, no dia 20, no mesmo horário, no Mineirão –, o Galo não apenas estaria eliminando um gigante, hexacampeão do torneio (1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007), e ficaria a cinco partidas do tão sonhado bi da Liberta, como também chegaria à marca de cem jogos em sua trajetória na competição.

Até agora, o Atlético soma 97 confrontos em 11 edições da Libertadores (45 vitórias, 27 empates e 25 derrotas). Com as duas partidas contra os xeneizes, vai a 99. Se avançar, o primeiro duelo das quartas, diante do vencedor de Argentinos Juniors e River Plate, seria o centésimo do clube mineiro na copa.

Para obter a classificação, o Galo conta novamente com a estrela do técnico Cuca, campeão com a equipe em 2013, e um elenco recheado de atletas que podem fazer a diferença. Entre eles o artilheiro da atual edição, Hulk, autor de seis gols em seis embates.

Mesmo com tantos predicados não significa que o Alvinegro seja o favorito contra o Boca.. “Jogar com o Boca é sempre muito difícil. Tem que se dividir o favoritismo. Eles têm um lado positivo, pois estão super descansados. E nosso lado positivo é que temos ritmo de jogo. Deixamos alguns (atletas) fora (contra o América) para estarem em condição melhor para terça-feira”, afirmou Cuca.

Mesmo assim, a Massa se enche de otimismo contra os argentinos. E tem motivos para isso: o investimento foi feito, os objetivos traçados, Cuca tem se desdobrado para surpreender seus adversários e o time vem correspondendo. Chegou a hora de fazer história.

Campanhas no Galo em Libertadores

1972
6 jogos; 5 empates e 1 derrota

1978
10 jogos; 5 vitórias, 2 empates e 3 derrotas

1981
7 jogos; 2 vitórias e 5 empates

2000
10 jogos; 4 vitórias, 1 empate e 5 derrotas

2013
14 jogos; 9 vitórias, 2 empates e 3 derrotas

2014
8 jogos; 3 vitórias, 4 empates e 1 derrota

2015
8 jogos; 3 vitórias, 1 empate e 4 derrotas

2016
10 jogos; 6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas

2017
8 jogos; 4 vitórias, 2 empates e 2 derrotas

2019
10 jogos; 4 vitórias, 2 empates e 4 derrotas

2021 (em andamento)
6 jogos; 5 vitórias e 1 empate

FICHA TÉCNICA

BOCA JUNIORS
Rossi; Weigandt, Izquerdoz, Rojo e Sandez; Rolon, Medina e Gonzalez; Pavon, Briasco e Villa
Técnico: Miguel Ángel Russo

ATLÉTICO
Everson; Réver, Nathan Silva e Alonso; Mariano, Allan, Tchê Tchê, Zaracho e Dodô; Savarino e Hulk
Técnico: Cuca

DATA: 13 de julho de 2021 (terça-feira)
HORÁRIO: 19h15 (hora de Brasília)
LOCAL: La Bombonera
CIDADE: Buenos Aires (Argentina)
MOTIVO: Jogo de ida das oitavas de final da Libertadores
ÁRBITRO: Andrés Rojas (Argentina)
VAR: Derlis López (Paraguai)
TRANSMISSÃO: Fox Sports

Fonte: Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.