Mozart vê excesso de vontade em lances dos pênaltis: ‘mas precisamos controlar isso’

O Cruzeiro terá uma semana cheia, visando ao duelo de sábado (17), às 16h30, diante do Avaí, pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Um período que o técnico Mozart vai utilizar para fazer testes, na busca pela equipe e o sistema de jogo ideais. Mas existem outros aspectos a serem trabalhados pelo treinador e sua comissão.

No empate em 3 a 3 com o Botafogo, a Raposa cometeu duas penalidades, convertidas pelo alvinegro Chay, o que foi decisivo para o placar final. Situações que possuem contornos psicológicos e estão na pauta celeste para os próximos dias.

“Foi excesso de vontade. Aconteceram dois pênaltis por excesso. Alguns cartões eu coloco na conta do árbitro. Ele teve papel crucial para esse empate. Não quer dizer que não foi pênalti”, disse Mozart, para, em seguida, fazer uma análise um pouco mais apurada.

“Eu tenho que defender meu jogador porque foi por excesso de vontade, e isso nunca é demais para conseguir uma sequência de resultados. É continuar com vontade, mas é preciso controlar o excesso para não cometer os mesmos erros”, comentou.

E completou: “Erros, nós todos cometemos; eu cometo os meus. É treinar para corrigir o que temos de corrigir. (…) Não dá tempo de se lamentar demais. É aproveitar bem a semana para treinar e recuperar os jogadores. E nos preparar da melhor maneira possível para o confronto de sábado com o Avaí”, afirmou.

Fonte: Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.