Para concretizar sonho do acesso, Cruzeiro precisa de arrancada inédita na reta final da Série B

Apesar de publicamente o Cruzeiro, por meio da comissão técnica, dizer que o objetivo na Série B é garantir a permanência, o olhar está, sim, na possibilidade de acesso. Mas para concretizar o que hoje é um sonho, o time precisará de uma campanha inédita na reta final da competição.

Na 29ª rodada, o Cruzeiro contou com tropeços dos adversários diretos na briga pelo acesso, mas não fez sua parte. Apenas empatou por 1 a 1 com o CSA, no Independência. Terminou a rodada em 10º lugar, com 39 pontos, a sete do Juventude, que abre o G4.

O Cruzeiro tem nove jogos para tirar essa vantagem e ultrapassar, no mínimo, seis adversários. O time treinado por Luiz Felipe Scolari precisa de uma arrancada que nunca foi conseguida por outra equipe na Série B de pontos corridos.

Em termos de posição, quem conquistou a maior escalada nos nove jogos finais foi o Figueirense, em 2013. O time estava em nono lugar ao fim da 29ª rodada, com 43 pontos, a quatro do Avaí, então quarto lugar. O Figueira terminou com 60 pontos, na quarta colocação.

De 14 edições da Série B do Campeonato Brasileiro por pontos corridos, em oito os times do G4 na 29ª rodada terminaram também a competição entre os quatro primeiros, confirmando o acesso à elite (veja na tabela abaixo).

Série B de pontos corridos

Ano Times que subiram (posição na 29ª rodada)
2006 Atlético-MG (1º), Sport (3º), Náutico (2º) e Paulista (4º)
2007 Coritiba (1º), Ipatinga (4º), Portuguesa (5ª, um ponto atrás do G4) e Vitória (3º)
2008 Corinthians (1º), Santo André (3º), Avaí (4º) e Barueri (5º, dois pontos atrás do G4)
2009 Vasco (1º), Guarani (2º), Ceará (3º) e Atlético-GO (4º)
2010 Coritiba (1º), Figueirense (3º), Bahia (4º) e América-MG (2º)
2011 Portuguesa (1º), Náutico (4º), Ponte Preta (2º) e Sport (6º, cinco pontos atrás do G4)
2012 Goiás (3º), Criciúma (1º), Athletico (5º, um ponto atrás do G4) e Vitória (2º)
2013 Palmeiras (1º), Chapecoense (2º), Sport (3º) e Figueirense (9º, quatro pontos atrás do G4)
2014 Joinville (4º), Ponte Preta (1º), Vasco (2º) e Avaí (3º)
2015 Botafogo (1º), Santa Cruz (3º), Vitória (2º) e América-MG (4º)
2016 Atlético-GO (1º), Avaí (3º), Vasco (2º) e Bahia (7º, a cinco pontos do G4)
2017 América-MG (2º), Inter (1º), Ceará (4º) e Paraná (3º)
2018 Fortaleza (1º), CSA (3º), Avaí (4º) e Goiás (2º)
2019 Bragantino (1º), Sport (2º), Coritiba (4º) e Atlético-GO (3º)

O Cruzeiro ficou praticamente todo o primeiro turno entre os últimos colocados, fosse com Enderson Moreira ou com Ney Franco. Felipão conseguiu dar uma guinada da equipe, que perdeu apenas um dos 13 jogos sob comando do treinador, com sete vitórias e seis empates, completando a sequência.

Da redação:ge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.