Cruzeiro empata com Guarani em jogo recheado de gols na Série B

Time celeste esteve por três vezes atrás no placar, porém conseguiu a igualdade mesmo com cartão vermelho mostrado a William Pottker

Em jogo recheado de gols, Cruzeiro e Guarani empataram por 3 a 3, nessa segunda-feira, no Mineirão, pela 21ª rodada da Série B. Apesar de o resultado em Belo Horizonte não ter sido ideal para as pretensões da equipe celeste no campeonato, o ponto somado ficou de bom tamanho, sobretudo pela expulsão de William Pottker no início do segundo tempo.

Superior na posse de bola (56%) e também em finalizações (20 a 17), o Bugre esteve à frente no placar por três vezes ao marcar com Murilo Rangel (2) e Pablo. A Raposa buscou a igualdade em conclusões de Manoel, William Pottker e Welinton.

Com a igualdade em Belo Horizonte, os clubes continuam próximos na classificação: o Cruzeiro em 15º, com 24 pontos, e o Guarani em 13º, com 25.

Na próxima rodada, o time treinado por Luiz Felipe Scolari volta a campo em 20 de novembro (sexta-feira), às 21h30, contra o Figueirense, no Mineirão. No mesmo dia, às 19h15, os comandados de Felipe Conceição recebem o Botafogo-SP, no Brinco de Ouro, em Campinas.

O jogo

Cruzeiro e Guarani fizeram um primeiro tempo bastante movimentado e de constante busca pelo gol. As estatísticas da etapa inicial mostraram vantagem do time paulista em conclusões (10 a 8) e na posse de bola (56% a 44%). Em gols, foram dois para cada lado.

Aos 14 minutos, o Bugre encaixou boa jogada pelo lado direito, com toques de primeira de Cristovam e Pablo. Quando a bola chegou à entrada da área, Bruno Sávio fez a proteção e pediu pênalti no choque com Cacá. Antes de qualquer reclamação incisiva, Cristovam recuperou a redonda e rolou para Murilo Rangel, que soltou a bomba e acertou o ângulo esquerdo de Fábio: 1 a 0. Golaço!

A Raposa não acusou o golpe e buscou o empate aos 20 minutos. Régis cobrou escanteio do lado esquerdo e encontrou Manoel entre a linha da pequena área e a marca do pênalti. O zagueiro cabeceou forte no alto e deixou tudo igual: 1 a 1. Foi o terceiro gol dele na Série B e o 10º em 161 jogos pelo clube.

Por pouco o Cruzeiro não virou a partida. Após cruzamento de Cáceres, aos 24min, Pottker se antecipou a Cristovam e testou a bola no travessão.

Também pelo alto, o Guarani deu o troco, aos 38min. E não desperdiçou. Bidu atravessou a bola da esquerda para a direita, Pablo chegou primeiro que Patrick Brey e cabeceou no contrapé de Fábio: 2 a 1.

Ex-jogador de Atlético e América, o ala-direita encerrou um jejum de mais de cinco anos sem balançar a rede e homenageou o pai, Paulo Roberto, que morreu em maio em um acidente de trabalho.

Mas o Cruzeiro esbanjou valentia e igualou o placar aos 44 minutos, quando Raúl Cáceres bateu cruzado, Gabriel Mesquita soltou a bola, e William Pottker finalizou rasteiro: 2 a 2.

No segundo tempo, o Guarani colocou em prática o estilo de jogo de troca de passes e movimentação implantado pelo técnico Felipe Conceição.

Aos 5min, Lucas Crispim deu enfiada de bola na linha de fundo, Giovanny surgiu nas costas de Cáceres e rolou para trás. De primeira, Murilo Rangel encostou a ponta da chuteira na bola, fez o segundo gol dele e o terceiro do Bugre: 3 a 2.

Quando se mostrava novamente propenso a empatar, o Cruzeiro perdeu William Pottker por expulsão. O detalhe é que a falta marcada pelo árbitro Pathrice Wallace Corrêa Maia não existiu, de acordo com as imagens do SporTV. O lance causou revolta na comissão técnica celeste e, posteriormente, no presidente Sérgio Rodrigues.

Com um a menos, o time celeste correu o risco de sofrer o quarto gol aos 27min, mas Fábio fez a defesa em chute rasteiro de Giovanny.

Aos 30min, foi a vez de o Cruzeiro levar perigo com o volante Filipe Machado, que havia acabado de entrar no lugar de Ramon. Ele cobrou falta de longa distância e mandou a bola na trave.

A insistência azul foi premiada aos 34 minutos. Patrick Brey compensou os erros na defesa com um bom cruzamento na primeira trave para Welinton, que, de cabeça, empatou no Mineirão: 3 a 3.

No fim do duelo, o Guarani quase fez o quarto com Bruno Sávio, porém Fábio se esticou, espalmou a bola à linha de fundo e garantiu mais um ponto ao Cruzeiro na luta para se distanciar da zona de rebaixamento.

CRUZEIRO 3X3 GUARANI

CRUZEIRO

Fábio; Raúl Cáceres, Cacá, Manoel e Patrick Brey; Ramon (Filipe Machado, aos 29min do 2ºT) e Jadsom Silva; Airton, Régis (Welinton, aos 18min do 2ºT) e William Pottker; Sassá. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GUARANI

Gabriel Mesquita; Cristovam (Eliel, aos 34min do 2ºT), Victor Ramon, Walber e Bidu; Bruno Silva (Matheus Souza, aos 44min do 2ºT), Lucas Crispim e Murilo Rangel (Marcelo, aos 33min do 2ºT); Pablo, Renanzinho (Giovanny, no intervalo) e Bruno Sávio (Alemão, aos 44min do 2ºT). Técnico: Marcelo Barbosa (Felipe Conceição suspenso).

Gols: Manoel, aos 20min, William Pottker, aos 44min do 1ºT; Welinton, aos 34min do 2ºT (Cruzeiro); Murilo Rangel, aos  14min, Pablo, aos 38min do 1ºT; Murilo Rangel, aos 5min do 2ºT (Guarani)

Cartões amarelos: William Pottker, aos 8 e aos 11min do 2ºT (Cruzeiro); Cristovam, aos 29min do 2ºT (Guarani)

Cartão vermelho: William Pottker, aos 11min do 2ºT (Cruzeiro)

Motivo: 21ª rodada da Série B

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte

Data: segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Árbitro: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)

Assistentes: Silbert Faria Sisquim e Thiago Rosa de Oliveira (RJ)

 

 

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.