Cruzeiro bate Operário e encerra sequência sem vitórias na estreia de Felipão

Com gol de Arthur Caíke, time celeste triunfou em partida pela Série B

Se nem todos os erros do Cruzeiro foram corrigidos na estreia de Felipão, pelo menos o caminho das vitórias foi reencontrado. Nessa terça-feira, na primeira partida sob o comando do novo técnico, a Raposa marcou no fim e venceu o Operário por 1 a 0 em Ponta Grossa, no Paraná. Arthur Caíke marcou aos 39’ da etapa final após bonita jogada de Airton.

Com o resultado, o Cruzeiro encerra sequência de quatro jogos sem vitórias na Série B do Campeonato Brasileiro. O resultado não tira a equipe celeste da zona de rebaixamento, mas coloca o time na 17ª posição, com 16 pontos, a um do Guarani, que está na 16ª colocação com uma partida a menos.

O Cruzeiro tem pela frente novo compromisso fora de casa. Em jogo marcado para o próximo domingo, às 16h, no Aflitos, o time celeste visita o Náutico pela 18ª rodada da Série B. A preparação também será feita longe de Belo Horizonte. Já nesta quarta-feira, a Raposa voltará para Atibaia, no interior de São Paulo, onde terá três dias com trabalhos do novo técnico.

O jogo

Os primeiros 45 minutos do Cruzeiro sob o comando de Luiz Felipe Scolari – que teve apenas uma sessão de treino – foram de erros repetidos, decisões erradas e pouca inspiração. Sem Airton, preterido dos titulares pelo novo treinador, a Raposa apresentou certa lentidão, não teve profundidade e chegou poucas vezes à meta de Thiago Braga. Apesar das cinco finalizações, os mineiros não criaram uma chance clara de gol sequer.

Por outro lado, foi possível observar mudança de postura do Cruzeiro. O time esteve um pouco mais organizado dentro da proposta de jogo, buscando marcação mais próxima do adversário. A concentração também pode ser destacada como ponto positivo. No banco de reservas, Felipão foi flagrado muito participativo, orientando os jogadores a todo momento. O treinador, inclusive, afastou o microfone fixo da TV Globo para evitar captação de seu áudio.

A primeira boa chance do Cruzeiro aconteceu de bola parada, aos 19’ da segunda etapa. Marquinhos Gabriel cobrou falta pelo lado direito, próxima da área, e quase marcou. Thiago Braga espalmou. Quatro minutos depois, aos 23’, a Raposa teve nova oportunidade. Arthur Caíke recebeu cruzamento da esquerda e, de cabeça, obrigou o goleiro do Operário a realizar nova defesa.

Dos pés do atacante saiu o tão esperado gol celeste. Aos 39’, já no fim da partida, Arthur Caíke resolveu para o Cruzeiro após linda jogada de Airton, que havia substituído Régis na partida. O camisa 7 recebeu no lado esquerdo e finalizou sem chances para Thiago Braga. 1 a 0.

Bem ao estilo Luiz Felipe Scolari, que colocou o volante Jadson logo após o gol, a Raposa passou a se defender nos minutos finais. Ainda precisou contar com grande defesa de Fábio, aos 46’, para garantir o resultado e encerrar a sequência de quatro jogos sem vitórias na Série B do Campeonato Brasileiro.

OPERÁRIO 0X1 CRUZEIRO

Operário

Thiago Braga; Sávio, Rafael Bonfim, Ricardo Silva e Peixoto; Leandro Vilela (Jean Carlo), Maranhão (Fabiano), Thomaz (Diego Cardoso) e Marcelo; Douglas Coutinho e Jefinho. Técnico: Gerson Gusmão

Cruzeiro

Fábio; Rafael Luiz, Cacá, Ramon e Matheus Pereira; Adriano e Jadsom; Marquinhos Gabriel (Maurício), Régis (Airton) e Arthur Caíke (Jadson); Marcelo Moreno. Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

Gol: Arthur Caíke (aos 39’2ºT)

Cartões amarelos: Matheus Pereira e Adriano (Cruzeiro); Douglas Coutinho, Sávio, Marcelo, Peixoto e Ricardo Silva (Operário)

Motivo: 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

Local: Germano Kruger, em Ponta Grossa (PR)

Data e horário: 20 de outubro de 2020 (terça-feira), às 21h30

Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)

Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (FIFA/BA) e Edevan de Oliveira Pereira (BA)

 

 

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.