América emplaca segunda vitória seguida com dois gols na Série B

Lisca espera que números do setor ofensivo melhorem ainda mais

O América espantou a seca do ataque ao emplacar dois triunfos consecutivos com dois gols na Série B do Campeonato Brasileiro. Na terça-feira, o time superou o Vitória por 2 a 1, no Barradão, em Salvador, pela 14ª rodada. Já nessa sexta-feira, bateu o Náutico por 2 a 0, no Independência, em Belo Horizonte, pela 15ª rodada. Os bons resultados fizeram o Coelho pular para o terceiro lugar, com 26 pontos.

Contra o Vitória, o alviverde teve menos posse de bola – 39% a 61% -, mas criou várias chances. De acordo com o SofaScore, foram 14 finalizações, sendo sete em direção ao gol. O destaque foi Ademir, que marcou belo gol de pé esquerdo, aos 7min do primeiro tempo, após driblar dois adversários. Felipe Azevedo anotou o segundo tento do Coelho, aos 27min. De pênalti, aos 34min da etapa final, Thiago Carleto descontou para o rubro-negro.

Diante do Náutico, a posse de bola ficou equilibrada – 50% a 50% -, porém o América se mostrou muito mais produtivo no ataque, com sete finalizações no gol de um total de 15. Já o Timbu conseguiu apenas uma oportunidade clara, em chute de Kieza no travessão, aos 37min da etapa complementar.

O Coelho fez 1 a 0 aos 27min do primeiro tempo, com Felipe Azevedo.  Após assistência de Zé Ricardo, ele levou a bola da esquerda para o meio e soltou a bomba de pé direito no cantinho do goleiro Jefferson. No segundo tempo, aos 34min, Rodolfo recebeu de Marcelo Toscano e bateu cruzado para Felipe Augusto, que, em posição de impedimento, ampliou para 2 a 0.

Além dos gols, o América perdeu duas ótimas chances, ambas com Marcelo Toscano, que entrou no lugar de Alê, com fisgada na coxa. Aos 13min, o meia-atacante recebeu passe de Geovane e, sozinho, isolou a redonda. Aos 23min, foi acionado por Sávio em jogada de linha de fundo e tentou colocar a bola no contrapé de Jefferson, porém o goleiro do Náutico defendeu com o bico da chuteira.

Com a série de vitórias, o América chegou a 13 gols em 15 jogos na Série B. O número é considerado baixo se levado em consideração os quatro duelos consecutivos sem balançar a rede: derrota para o Figueirense, por 1 a 0, e empates com Chapecoense, CRB e Guarani. Por isso, o técnico Lisca ressaltou a necessidade de manter a evolução ofensiva no campeonato.

“Nós precisamos aumentar nossa média. Nós fizemos 13 gols na competição, estamos no meio da tabela em ataque mais efetivo e, se eu não me engano, não temos nenhum jogador com dois ou três gols, só o Rodolfo com dois gols e talvez o Augusto (na verdade, Felipe Azevedo) tenha feito o segundo, não me lembro bem. Precisamos ter o instinto mais matador, de definição. Hoje tivemos chances com o Toscano, mas acabamos não fazendo. É um ponto que precisamos melhorar, o nosso aproveitamento das oportunidades (…)”, opinou o treinador.

Lisca também chamou a atenção para a melhora como mandante na Série B. No sétimo jogo no Independência, o Coelho alcançou a terceira vitória. São 11 pontos em 21 disputados em casa, com aproveitamento de 52,38%, inferior aos 62,5% na condição de visitante – quatro vitórias, três empates e uma derrota. O próximo compromisso será longe de Belo Horizonte, contra o Botafogo-SP, pela 16ª rodada. O duelo começará às 19h15 de sexta-feira, 16, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

“Nós somos o melhor visitante, mas estamos no meio da tabela como mandante. Claro que é um novo cenário com a pandemia, com a sequência de jogos e com a ausência da torcida e está todo mundo se adaptando à essa nova realidade e nós temos que melhorar o aproveitamento de oportunidades e melhoria de desempenho dentro de casa. Graças a Deus nós conseguimos melhorar as duas coisas hoje, além de manter nosso sistema defensivo seguro e com poucos gols tomados na competição”, encerrou o técnico.

 

 

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.