G4: o que o Cruzeiro tem de fazer para cumprir meta de Ney Franco

Time celeste precisa de grande aproveitamento até a 19ª rodada

A vitória do Cruzeiro sobre a Ponte Preta, por 3 a 0, no Mineirão, renovou os ânimos dos torcedores que estavam descrentes em uma recuperação na Série B do Campeonato Brasileiro. Ainda que a situação na classificação continue incômoda – 16º, com 11 pontos em 12 rodadas -, a Raposa ganhou confiança para encarar o Cuiabá, líder da competição, com 25. A partida está marcada para este sábado, às 22h, na Arena Pantanal, em Cuiabá-MT.

A expectativa é que o Cruzeiro mantenha diante da equipe de Mato Grosso o futebol ofensivo apresentado contra a Ponte Preta. No triunfo de quarta-feira, o time acertou nove das 16 finalizações – além dos três gols, exigiu quatro defesas difíceis do goleiro Ivan e concluiu duas vezes na trave. O bom rendimento devolveu aos cruzeirenses o sonho de ver a zona de rebaixamento ficar distante e o G4 cada vez mais próximo.

Em entrevista ao Superesportes, o técnico Ney Franco revelou que a meta estabelecida com o grupo é chegar perto do quarto lugar no turno. “A gente está trabalhando pela recuperação dentro do primeiro turno. Até vou ter uma palestra com o grupo, mas a nossa fala interna é de fechar esse primeiro turno próximo do G-4”.

O treinador reconheceu que a missão não será fácil devido à combinação de resultados e à necessidade de aproveitamento acima da média em sete jogos. “Se entrarmos dentro do G-4, melhor ainda, mas, para entrar dentro do G-4 a gente precisa de um desempenho extraordinário nesses jogos. A gente sabe que isso é muito difícil, mas temos que botar a régua máxima para a gente transpor”.

Hoje, a diferença do Cruzeiro para a Chapecoense, quarta colocada (com dois jogos a menos), é de oito pontos. O quinto, Juventude, e o sexto, América, também somam 19, mas levam desvantagem para os catarinenses no saldo. A Ponte Preta, terceira, contabiliza 21, enquanto o Paraná, vice-líder, tem 22. Na pior das hipóteses, Ney Franco espera que a Raposa fique a quatro ou seis pontos do pelotão de acesso à primeira divisão do Brasileiro.

“A fala é fecharmos esse primeiro turno, se aproximar das equipes que estão acima. Algumas delas vão ter quedas de rendimento. Temos que aumentar nosso rendimento para, quando isso acontecer, possamos aproximar. Então, o grande desafio no primeiro turno, na virada, é estar ali a quatro, cinco, seis pontos do quarto colocado ou até mais encostado. Foi um desafio lançado para o elenco a partir desse momento e a gente vai trabalhar muito para isso”.

Depois do Cuiabá, o Cruzeiro medirá forças com o Sampaio Corrêa (19º), na quinta-feira (8), às 18h30, no Mineirão. No domingo seguinte (11), às 16h, pegará o Oeste, na Arena Barueri, em Barueri-SP. Os quatro duelos finais do turno são contra Juventude (casa), Operário (fora), Náutico (fora) e Paraná (casa).

Nas cinco edições anteriores da Série B (2015 a 2019), o quarto colocado nas 19 primeiras rodadas atingiu entre 31 e 33 pontos. Por esse critério, o Cruzeiro terá de vencer os sete compromissos restantes do turno. Já para ficar a quatro, cinco ou seis pontos do G4, será necessário ganhar cinco partidas.

Vale lembrar que o time iniciou o campeonato com seis pontos negativos devido a uma punição na Fifa – dívida de mais de R$ 5 milhões com o Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, pela contratação por empréstimo do volante Denílson, em julho de 2016.

Cálculo do Cruzeiro nos sete jogos restantes do turno

7 vitórias (100%) – alcançará 32 pontos e, provavelmente, entrar no G4

6 vitórias e 1 empate (90,4%) – terá 30 pontos, ainda com chances de G4

6 vitórias (85,7%) – chegará a 29 e ficará a dois ou três pontos do G4

5 vitórias (71,4%) – somará 26, a cinco ou seis pontos de distância do G4

Turno da Série B

2019

Bragantino – 38

Coritiba – 34

Atlético-GO – 31

Sport – 31

 

2018

Fortaleza – 37

CSA – 34

Vila Nova-GO – 30

Atlético-GO – 30

 

2017

América – 36

Internacional – 33

Vila Nova-GO – 32

Ceará – 31

 

2016

Vasco – 39

Ceará – 35

CRB – 33

Atlético-GO – 33

 

2015

Vitória – 37

Botafogo – 36

América – 34

Bahia – 33

 

2014

Ceará – 35

Avaí – 34

Joinville – 33

Vasco – 32

 

2013

Palmeiras – 42

Chapecoense – 40

Paraná – 36

Sport – 31

 

2012

Vitória – 44

Criciúma – 42

Joinville – 36

São Caetano – 34

 

2011

Portuguesa – 38

Ponte Preta – 35

Náutico – 34

Guaratinguetá – 30

 

2010

Figueirense – 36

Ponte Preta – 35

Coritiba – 33

Bahia – 31

 

2009

Vasco – 39

Atlético-GO – 36

Guarani – 34

Ceará – 33

 

2008

Corinthians – 39

Avaí – 35

Santo André – 33

Ponte Preta – 32

 

2007

Criciúma – 37

Coritiba – 35

Marília – 32

Vitória – 30

 

2006

Coritiba – 35

Náutico – 35

Sport – 30

Avaí – 30

 

 

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.