Em noite de horror da defesa, Cruzeiro perde para o ex-lanterna CSA

Foram três gols em bolas alçadas à área sem contestação por parte da zaga celeste; o time alagoano não perdoou

Colapso. Assim pode ser definido a atuação da defesa do Cruzeiro na noite desse sábado, no Rei Pelé. O CSA era o lanterna do Campeonato Brasileiro da Série B. Teve o técnico demitido após 18 dias. Esteve com um interino na beira de campo. Mas conseguiu se reabilitar diante da Raposa graças a três cruzamentos para a área que passaram sem contestação da defesa. O resultado foi um 3 a 1 para o time alagoano, que contou com dois gols de seus zagueiros – Cleberson e Alan Costa -, além de outro do estreante Pedro Lucas. Ao Cruzeiro, o único ponto positivo foi a atuação lúcida de Matheus Pereira, que inclusive fez o único gol celeste.

O desastroso resultado em Alagoas fez o Cruzeiro voltar a flertar com o Z-4 da Série B. É o 15º, com oito pontos, a mesma pontuação do Guarani, que é o primeiro da zona ingrata. O CSA agora não é mais o lanterna. Tem sete pontos, um a menos que o Cruzeiro e também possui um jogo a menos que a Raposa.

O jogo

Apostando em uma formação sem a presença do famoso 9 referência, o Cruzeiro pretendia ter um ataque com troca de posições, procurando confundir o sistema defensivo do CSA. A aposta até funcionou. Por dez minutos. A Raposa teve a primeira chance real do jogo, com Airton chutando no pé da trave. Depois começou o tormento defensivo do Cruzeiro.

Faltou experiência e atenção da zaga

Pela direita, a parceria Rafael Luiz na lateral e Airton pela beirada ensaiou algumas jogadas, mas a inexperiência ainda pesa em algumas tomadas de decisão. O melhor exemplo disso foi o primeiro gol que o Cruzeiro levou. Rafael Luiz se precipitou em cima da linha de fundo e acabou mandando para escanteio. Na cobrança, aos 11 minutos da etapa inicial, um leve desvio para o meio da área e Cleberson, sozinho, sem nenhuma marcação dos defensores – Léo, por exemplo, só observou – cabeceou, vencendo Fábio e abrindo o placar.

Caminho aberto 

Mas ainda teria mais. Um cruzamento de Rafinha que, a princípio parecia fácil para a defesa cortar, acabou encontrando Alan Costa, aos 28 minutos, que chegou para mais um arremate de cabeça, derrubando Fábio, que poderia ter saído no lance ou então mesmo a dupla Léo e Cacá, que mais uma vez assistiu a passagem do zagueiro. Alan Costa de péssima lembrança para a torcida do Cruzeiro, já que foi o autor do gol da vitória do ano passado por 1 a 0, no Mineirão, em jogo que simbolicamente decretou o descenso à Série B.

A essa altura, Ney Franco tentou agir rápido. Mexeu no time, sacando peças como o volante Jadsom e promovendo a entrada de Thiago, agora sim, tendo um 9 na área, além de Arthur Caíke, que deixou o jogo para a estreia do lateral-direito Daniel Guedes, liberando Rafael Luiz. Muitas mudanças e pouquíssima efetividade, com os jogadores criativos completamente em estado de ‘vagalume’ em campo, como o próprio Régis, que sumiu, e também Maurício.

O lúcido 

Na segunda etapa, Ney Franco propôs um Cruzeiro com Régis mais próximo de Thiago e Maurício quase como um segundo volante. Mas quem foi premiado pela atuação mais sólida do time foi o jovem lateral-esquerdo Matheus Pereira. O ponto destoante de uma noite de horrores do sistema defensivo, Matheus Pereira fez bela jogada na segunda etapa, penetrando na área e chutando cruzado, aos 21 minutos. O primeiro gol do garoto, de 19 anos, no profissional celeste.

Bombardeio aéreo – PARTE III 

A expectativa era de uma recuperação do Cruzeiro. Mas a zaga celeste voltou a vacilar no jogo aéreo. Aos 26 min, Pedro Júnior cruzou a bola para a grande área, e Pedro Lucas, passando por Léo e nas costas de Cacá, cabeceou para o fundo do gol, decretando a vitória alagoana sobre o Cruzeiro. E olha que o CSA ainda teve Rodrigo Pimpão expulso e mesmo assim segurou o placar.

Ficha técnica 
CSA 3 x 1 Cruzeiro
Motivo: 10ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2020
Local: Rei Pelé, em Maceió
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha
Cartões amarelos: Pedro Júnior, Pedro Lucas e Rodrigo Pimpão (CSA); Machado (Cruzeiro)
Cartões vermelhos: Rodrigo Pimpão (CSA)
Gols: Cleberson, aos 11 minutos, e Alan Costa, aos 28 minutos, ambos do 1ºT; Pedro Lucas, aos 26 minutos do 2ºT  (CSA); Matheus Pereira, aos 21 minutos do 2º T (Cruzeiro)

CSA
Matheus Mendes; Diego Renan, Cleberson, Alan Costa e Rafinha; Geovane, Márcio Araújo e Yago (Marquinhos); Rodrigo Pimpão, Pedro Júnior (Cedric) e Paulo Sérgio (Pedro Lucas). Técnico: Adriano Rodrigues.

Cruzeiro 
Fábio; Rafael Luiz (Roberson), Cacá, Léo e Matheus Pereira; Jean, Jadsom (Thiago), Maurício e Régis; Airton (Machado) e Arthur Caíke (Daniel Guedes). Técnico: Ney Franco.

 

 

SuperFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.