Cruzeiro sai na frente, mas leva empate do Confiança em jogo fraco tecnicamente

Raposa não conseguiu sair de Aracaju com a vitória; atuação do time, mais uma vez, deixou a desejar

O gramado era ruim. A qualidade técnica do rival também questionável. Mas o Cruzeiro, ainda em sua saga pela construção tão desejada, segue bastante irregular e acabou empatando com o Confiança, no Batistão, em Aracaju, por 1 a 1. De positivo mesmo para o torcedor apenas o paraguaio Raúl Cáceres, o jogador mais regular do Cruzeiro desde a retomada do futebol, autor do gol da Raposa. O Confiança, por sua vez, conseguiu apenas seu segundo ponto na Série B pouco menos de 48 horas depois de ter entrado em campo para se sagrar campeão sergipano.

Com o resultado, o time de Enderson Moreira chegou aos quatro pontos na Série B e até subiu duas posições na tabela, agora em 11º, mas hoje distante quatro pontos da Ponte Preta, que aparece na quarta posição da Série B. O pensamento da Raposa agora se volta para a Copa do Brasil. Na quarta vai até Alagoas pegar o CRB. O time estrelado precisa de uma remontada, inverter o 2 a 0 dos alagoanos, conquistado no Mineirão, para avançar à quarta fase do torneio nacional.

O Cruzeiro poderia até ter saído à frente no placar com a marcação de um pênalti para lá de confuso dentro da área da confiança. Mas o camisa 10 Régis acabou parando no goleiro Rafael Santos. Mesmo assim, o Cruzeiro, muito por causa da qualidade técnica individual de alguns nomes, conseguiu furar a defensiva do time sergipano, que na sexta-feira havia conquistado o título estadual. Nesse sentido, um prêmio para o lateral-direito paraguaio Raúl Cáceres.

Quando da sua contratação, a imprensa do país vizinho já destacava a regularidade do jogador. Se Cáceres não é um craque, ele é hoje um dos atletas mais constantes do Cruzeiro desde a retomada do futebol. Na partida desse domingo, ele marcou seu primeiro gol com a camisa do Cruzeiro. O lateral já havia iniciado a jogada. O cruzamento forte parou em Régis que levantou para a área novamente. Cáceres se apresentou, aos 25 minutos da etapa inicial, para marcar de cabeça. A bola ainda bateu na trave.

O gramado irregular do Batistão dificultou o jogo. Mas o Cruzeiro, pelo time que possui, teria uma obrigação quase que notável de superar o time sergipano. O time teve algumas tramas interessantes, mas depois foi perdendo o pique no jogo. O Confiança. ainda no primeiro tempo, se aproveitou disso e no finalzinho com Reis, que dominou na grande área e chutou para o gol. Fábio ainda encostou na bola, pareceu ter caído depois, e acabou batido pelos donos da casa. Há de se destacar que a origem do gol teve um impedimento não marcado pela arbitragem.

O segundo tempo de partida comprovou, mais uma vez, o problema crônico da lateral-esquerda do Cruzeiro. Giovanni passou a levar algumas bolas nas costas por causa de suas subidas ao ataque, permitindo que o time sergipano explorasse o corredor da direita com Ari Moura e Reis. Uma mina de ouro.

Próximo do final, Enderson ainda colocou João Lucas no setor, mas o Cruzeiro deixou Aracaju mesmo com um ponto na bagagem após um segundo tempo bem fraco de se acompanhar. O Confiança se fechou bem, seguindo bem a sua estratégia de jogo e dificultado ainda mais o jogo celeste. Alterações um tanto quanto questionáveis, falta de jogadas criativas e o Cruzeiro bem aquém do que aquilo que se esperava contra um dos times de pior nível técnico da segunda divisão.

 

SuperFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.