Eleito presidente do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues define primeiras ações: salários em dia e tentar pagar dívidas na Fifa

Mandatário prometeu pagar salários atrasados de funcionários e jogadores na próxima semana

Tão logo foi eleito presidente do Cruzeiro nessa quinta-feira para o mandato de sete meses, entre 1º de junho e 31 de dezembro, o advogado Sérgio Santos Rodrigues informou que suas primeiras ações serão pagar os salários de funcionários e jogadores e também uma dívida na Fifa, de R$ 11 milhões, que vence em 29 de maio. Ela é relativa à compra do atacante Willian Bigode ao Zorya FC, da Ucrânia, em 2014.

Se não honrar esse compromisso, o Cruzeiro pode ser novamente punido pela entidade maior do futebol. Esta semana, o clube já foi penalizado com a perda de seis pontos na Série B de 2020 pelo não pagamento, no dia 18, de 850 mil euros ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes, referentes ao empréstimo do volante Denilson, em 2016.

Sérgio Rodrigues revelou, logo depois da votação, que tem discutido com conselheiros e empresários meios de conseguir recursos imediatos para colocar os salários em dia e fazer o depósito ao clube ucraniano.

O elenco do Cruzeiro está com dois meses de salários atrasados, mesmo diante da redução considerável da folha em relação à temporada passada. Os funcionários estão com um vencimento pendente.

“Na semana que vem nós vamos pagar o salário que está atrasado, isso é uma coisa que já está no nosso pensamento, não só dos funcionários, mas como dos jogadores e, também, começar o planejamento para o acesso à Série A”, disse Sérgio Rodrigues sobre os salários.

Já nesta sexta (22), o mandatário tem uma reunião agendada para tentar uma solução para a dívida com o clube ucraniano. Esse é apenas um dos débitos que terão que ser pagos pelo Cruzeiro este ano de ações movidas na Fifa por clubes do exterior e atletas.

“A prioridade é a de sexta-feira (dia 29, com o Zorya FC , já as outras como vencem em sua maioria no segundo semestre, a gente vai começar a dar um tratamento nelas também para ver se a gente consegue algum parcelamento, ver se alguém pode aceitar jogador também para a gente poder caminhar dessa forma”, declarou Sérgio.

Perda de pontos

Embora considere praticamente irreversível a pena aplicada ao Cruzeiro pela Fifa, com a perda de seis pontos na Série B, pelo não pagamento do empréstimo de Denílson, Sérgio Rodrigues adiantou que buscará um diálogo com as instituições do futebol para tentar reverter o quadro.

“A gente já conversou com alguns conselheiros aqui hoje, já temos reuniões marcadas e também não desistimos de tentar recuperar os pontos perdidos de alguma forma, vamos tentar de tudo. Nós temos que explicar, temos certeza que a Fifa, a CBF e os outros clubes vão entender que o Cruzeiro foi vítima (das gestões anteriores) e sendo vítima ele não poderia ser penalizado duplamente”, agregou.

A seguir, algumas declarações de Sérgio Santos Rodrigues:

Vitória na eleição

É indescritível, é um grito guardado na garganta há três anos. O torcedor pode ter certeza que eu saí da mesma arquibancada que eles, eu sempre estive em campo também, com pai conselheiro do Cruzeiro. Representar vocês é algo fora do comum, então não tenha dúvida que com muita garra e ainda mais determinado para a gente poder sair dessa situação difícil. A gente precisa de paz, a gente precisa que a torcida nos abrace e acredite no nosso projeto para que o clube suba para a Série A no ano que vem e a gente tenha um belo centenário.

Crise financeira gerada pela gestão de Wagner Pires de Sá

É óbvio que nós vamos correr atrás de quem lesou o Cruzeiro, civil e criminalmente. É um compromisso que a gente tem, e a torcida pode ter certeza que nós seremos implacáveis com quem prejudicou o Cruzeiro. Mas o pensar para frente é resgatar credibilidade, apoio aos nossos projetos, pode ter certeza que a gente estuda todos os dias e já vem desde o início da eleição pensando nos problemas do Cruzeiro e em como solucioná-los. Eles são muitos, mas eles não só maiores que a marca Cruzeiro.

Pagar salários e dívidas da Fifa

Pagar a primeira dívida da semana que vem. A gente já conversou com alguns conselheiros aqui hoje, já temos reuniões marcadas e também não desistimos de tentar recuperar os pontos perdidos de alguma forma, vamos tentar de tudo; Nós temos que explicar, temos certeza que a Fifa, a CBF e os outros clubes vão entender que o Cruzeiro foi vítima e sendo vítima ele não poderia ser penalizado duplamente. Na sexta-feira a prioridade é essa, na semana que vem nós vamos pagar o salário que está atrasado, isso é uma coisa que já está no nosso pensamento, não só dos funcionários, mas como dos jogadores e, também, começar o planejamento para o acesso à Série A.

A prioridade é a de sexta-feira, já as outras como vencem em sua maioria no segundo semestre, a gente vai começar a dar um tratamento nelas também para ver se a gente consegue algum parcelamento, ver se alguém pode aceitar jogador também para a gente poder caminhar dessa forma.

Futebol profissional

Primeira coisa é ter uma reunião, é sentar com eles, com o Drubscky (diretor de futebol), que a gente já tinha falado que eles têm o nosso voto de confiança para ficar e fazer um trabalho eficaz. O nosso pensamento técnico é o mesmo, de poucos reforços pontuais. Temos que lembrar que no início do ano o time não estava completo. Já chegou o Régis, nós temos a volta do Cabral, Robinho e Jean. Então, a gente acha que com bastante treinamento, com esse reforço que chegou, com o Angulo e, posteriormente, outros reforços a gente vai conseguir fazer um belo trabalho técnico e conseguir o acesso à Série A.

Carreira e trajetória no Cruzeiro

Eu formei em Direito em 2004 e em 2006 eu virei auditor do Tribunal de Justiça Desportiva. Em 2009, eu vim para o Cruzeiro ser superintendente de gestão estratégica e assessor jurídico da presidência, defendendo o Cruzeiro em vários tribunais. Em 2015 eu me torno superintendente de negócios internacionais do Cruzeiro, o departamento funciona na Toca I, então eu tive uma grande experiência com a base e em 2016 eu fui superintendente de futebol profissional. Então, são basicamente nove anos de serviços voluntários ao Cruzeiro, que eu prestei com muito carinho e me deu essa experiência de conhecer todas as três principais áreas do Cruzeiro para a gente tentar implementar todos os projetos que a gente sonha.

Legado

A gente quer o Cruzeiro para os nossos filhos e netos. Eu não quero ser o presidente que vai ser jogado na banheira, eu já falei isso. Eu quero ser o presidente que vai marcar o Cruzeiro com planejamento, com estrutura profissional e forte e que meus filhos tenham orgulho de mim por tudo o que a gente fez.

Responsabilidade

Muita responsabilidade, mas também muita alegria e muito prazer. É o que eu falo, eu lembro de assistir jogos de Supercopa com média de 75 mil pessoas, depois vários outros campeonatos. A gente tem torcedor ilustre como a Salomé, que morre de desgosto por causa do Cruzeiro, representar essa paixão é muito importante. Eu tenho noção dessa responsabilidade, o torcedor pode ter certeza disso. Eu vou trabalhar dia e noite para atender essa responsabilidade, vocês jamais tenham dúvida, porque eu não vou fugir dela e vou me dedicar para que tudo dê certo.

Projetos para o centenário, em 2021

A gente fala disso o tempo inteiro. O centenário é uma coisa muito valiosa para nós, eu gosto muito dessa parte de história. Eu criei um instituto que chama Palestra Itália, que valoriza muito a história do Cruzeiro. Então, é uma coisa que a gente se dedica muito e que eu sempre banquei, está registrado em meu nome e eu quero dar ele ao Cruzeiro para que ele seja um braço social, nós vamos doar para que ele passe a constituir a pessoa jurídica do Cruzeiro, independentemente de quem for o presidente.

Apoio do torcedor na campanha

A gente fica feliz, eu vi em rede social as enquetes e 95% da preferência do torcedor. Quero que o torcedor acredite nesse projeto e é o que eu falei, eu tenho certeza que todo mundo sonha com isso. E, além de sonhar, eu busquei sempre me preparar para isso. para a gente não pensar só com a cabeça 100% emotiva, a gente tem que ter profissionalismo para gerir um clube de futebol com a grandeza do Cruzeiro. Foi essa falta de profissionalismo que nos levou onde nós chegamos. Então, o torcedor pode ter certeza absoluta que a gente vai trabalhar dia e noite para que isso aconteça. Nós precisamos da participação de vocês, nós queremos a participação de vocês, eu não sei quando nós vamos poder jogar com as portas abertas, mas se não puder ser, nós vamos engajar nas redes sociais e nos projetos do clube porque a gente precisa muito de vocês para manter a nossa grandeza.

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.