Moreno diz que com time atual Cruzeiro dificilmente subiria, mas destaca: ‘Vai melhorar muito’

Atacante acredita na evolução da equipe antes do início da Série B do Campeonato Brasileiro

“Com o time atual, acredito que seja muito difícil. Cruzeiro vive momento de reconstrução. Vai melhorar muito, estão chegando novos jogadores, chegou novo treinador. Acredito que o time vai subir sim”, afirmou.

Nos cinco primeiros jogos desde que voltou ao Cruzeiro, Marcelo Moreno ainda não balançou as redes. Ele falou sobre a expectativa de voltar a marcar.

“Atacante gosta de fazer gol sempre. Entendo esse momento do Cruzeiro. Não estava 100%. Falei com o Adilson que não estava 100%. Estava fazendo pré-temporada com o time chinês. Mas disse que estava à disposição do Cruzeiro, pronto para ajudar. Mas ainda não estou como quero. Quero estar melhor ainda, como nunca tive. E, na hora que sair um gol, vão sair vários”, frisou.

Moreno ainda revelou ter a vontade de encerrar a carreira no Cruzeiro. “E é meu sonho aposentar aqui por tudo que eu passei, pelo respeito que tenho com o torcedor, e pelo que o torcedor tem comigo. Seria o clube ideal. Pela festa que vou querer fazer também, porque quero ter a lembrança pra sempre”.

Veja os principais pontos das falas de Marcelo Moreno

Time vai subir?

“Com o time atual, acredito que seja muito difícil. Cruzeiro vive momento de reconstrução. Vai melhorar muito, estão chegando novos jogadores, chegou novo treinador. Acredito que o time vai subir sim”.

Ansioso pelo primeiro gol

“Atacante gosta de fazer gol sempre. Entendo esse momento do Cruzeiro. Não estava 100%. Falei com o Adilson que não estava 100%. Estava fazendo pré-temporada com o time chinês, mas disse que estava à disposição do Cruzeiro, pronto para ajudar. Mas ainda não estou como quero. Quero estar melhor ainda, como nunca tive. E, na hora que sair um gol, vão sair vários”.

Negociação

“Comigo não demorou um dia de negociação. O que travou foi a rescisão de contrato. Todo mundo sabe que eu sou torcedor do Cruzeiro”.

Melhores parceiros de ataque

“Dupla de ataque? Já joguei com Zé Roberto no Grêmio, já joguei com Ozil no Werder Bremen. No Brasil, joguei com Alecsandro, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Willian Bigode”.

Gol mais bonito

“Contra o Fluminense aqui no Mineirão (última rodada do Campeonato Brasileiro de 2014). Foi mais difícil de fazer”.

Identificação

“Sempre tiveram comigo, me apoiando. Sempre que venho para Belo Horizonte, sinto o carinho. Quando estou aqui, tratam-me bem. Isso cria uma identidade. Torcedor do Atlético também me trata muito bem, tira foto”.

Diretoria passada

“Deixaram muitos problemas, faliram o Cruzeiro, praticamente. E, neste ano, o clube está tentando de qualquer jeito se reerguer, e eu vim neste momento de poder ajudar o Cruzeiro nessa situação. Eu vejo que muitos jogadores assim, olham o momento do Cruzeiro, e falam assim: não é o momento de voltar. Eu optei por dar a cara a tapa mesmo, colocar meu trabalho à disposição. Eu sei que vai dar tudo certo”.

Camisa pintada no corpo

“Ele (diretor de marketing) não estava acreditando no que eu tinha falado. Jogador pintar a camisa do time no próprio corpo nunca aconteceu. Disseram para colocar patrocinadores. Fizeram um trabalho perfeito. A gente ficou umas 2h30. Fiquei mais de uma hora em pé para fazer o desenho. A coletiva de apresentação demorou muito”.

Aposentar no Cruzeiro

“O respeito que tenho pelo Cruzeiro me motivou a voltar. Essa identificação que tenho é legal e pretendo valorizar isso dentro e fora de campo. E é meu sonho aposentar aqui por tudo que eu passei, pelo respeito que tenho com o torcedor, e pelo que o torcedor tem comigo. Seria o clube ideal. Pela festa que vou querer fazer também, porque quero ter a lembrança pra sempre”.

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.