Mineirão se coloca à disposição de órgãos públicos no combate ao coronavírus

Gigante da Pampulha afirma segue em contato com o poder público para prestar auxílio

O mundo segue em alerta em função da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). No Brasil, alguns estádios de futebol estão à disposição das autoridades estaduais e municipais para ajudar no combate à doença. Na capital mineira, o Mineirão também se colocou às ordens dos órgãos públicos.

Entretanto, até o momento o Gigante da Pampulha ainda não foi procurado pelo governo do estado de Minas Gerais ou pela Prefeitura de Belo Horizonte para a utilização de seu espaço.
“O Mineirão informa que a decisão pela construção de hospitais de campanha cabe aos órgãos de saúde ou militares. Até o momento, a equipe do estádio não foi procurada com esta demanda por parte dos órgãos, porém se colocou à disposição do Estado de Minas Gerais na última terça-feira (16) e da Prefeitura de Belo Horizonte, no último sábado (20). O Mineirão reitera que está em contato constante com o poder público e integralmente à disposição para auxiliar com o que for possível”, disse o comunicado.
Outros estádios pelo país também estão à disposição das autoridades para o auxílio ao combate do novo coronavírus. Os estádios Nilton Santos, no Rio de Janeiro; PacaembuMorumbi Arena Corinthians, em São Paulo; Mané Garrincha, em Brasília; Frasqueirão, em Natal; e Arena da Baixada, em Curitiba, já foram disponibilizados para os órgãos públicos.

Independência

Alencar da Silveira Júnior, ex-presidente do América, se manifestou por meio das redes sociais sobre o caso. Para o ex-mandatário, ceder o Independência também não será problema para o clube alviverde ou para o presidente Marcus Salum.
“Tenho certeza que pelo América e pelo presidente (Marcus) Salum, o Independência está à disposição do governo e do exército para ser usado como apoio para o tratamento da gente mineira”, disse.
Em contato com o Superesportes, o gerente de operações e segurança do Horto, Helber Gurgel, falou sobre o caso. Segundo ele, a arena não tem estrutura para comportar esse tipo de ação.
“Nós já pensamos em abrir o Independência, mas nós esbarramos na questão estrutural. A maior estrutura do estádio é a parte de vestiários, porque o Independência é diferente dos outros estádios redondos, falta uma parte da estrutura nele. Mas, é claro, se formos consultados, a gente se dispõe, mas por enquanto não houve nenhuma solicitação”, afirmou Gurgel.

 Redação /Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.