Ex-atacante do Atlético e autor de golaço em La Bombonera, André Neles morre aos 42 anos

Ex-jogador sofreu infarto e faleceu nesta quinta-feira; André também atuou por Benfica-POR, Palmeiras, Vitória, Internacional e pela Seleção de Guiné Equatorial

Nesta quinta-feira, o ex-atacante André Neles, conhecido durante a carreira como André Balada, faleceu após uma parada cardíaca, aos 42 anos de idade. Famoso por ter marcado gols importantes pelo Atlético em 2000, como o feito sobre o Boca Juniors, em plena La Bombonera, ele teve carreira marcada por passagens em grandes clubes, vícios, e até partidas por seleção nacional.

Natural de Patrocínio, interior de Minas, André se destacou com a camisa do Atlético em 2000, e deixou gols importantes em sua primeira passagem pelo clube. Um deles foi icônico, quando driblou o goleiro do Boca Juniors, no meio do campo, e finalizou para o gol, em plena La Bombonera, durante a Copa Mercosul de 2000. André foi campeão mineiro com o Galo no mesmo ano.

View this post on Instagram

O Atlético lamenta profundamente o falecimento de André Moreira Neles e manifesta sua solidariedade aos familiares e amigos do ex-atacante alvinegro.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Revelado nas categorias de base do clube, André atuou na equipe profissional de 1999 a 2000 e em 2004. O atacante fez 45 jogos e marcou 17 gols pelo #Galo.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Seu gol mais famoso com o manto alvinegro foi pela Copa Mercosul de 2000, contra o Boca Juniors, no estádio La Bombonera, na Argentina. André marcou o gol de empate, por 2 a 2, que classificou o #Galo para a fase seguinte do torneio.

A post shared by Clube Atlético Mineiro (@atletico) on

Depois disso, ele foi negociado com o Benfica-POR, onde atuou em 2001, mas acabou emprestado logo em sequência. A partir daí, André rodou por muitos clubes, incluindo um retorno sem sucesso pelo Atlético, até encerrar a carreira, em 2017, com a camisa do Alecrim-RN. No caminho, vestiu camisas de clubes grandes do Brasil, como Palmeiras, Vitória e Internacional. Devido ao vício em bebidas alcoólicas e drogas, ele passou a ser conhecido como André Balada. Em 2004, o ex-atacante se converteu à igreja evangélica e abandonou os vícios que possuía.

“Posso dizer que gostava bastante da noite. Eu achei muito ruim quando o pessoal começou a me chamar de André Balada. Mas quando a gente acha ruim é aí que o apelido pega mesmo”, falou o ex-atleta.

Após se converter à igreja, André passou a dedicar parte do seu tempo com cultos e na carreira como cantor gospel.

André também defendeu a Seleção de Guiné Equatorial entre 2007 e 2011, com quatro gols em 10 jogos – com números passados pelo próprio ex-jogador. Ele participou de duas partidas nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. A convocação para a seleção africana ocorreu devido ao fato de a avó de André ter ascendência africana e o ex-jogador ter recebido boa oferta financeira para se naturalizar guinéu-equatoriano.

Fonte: Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.