Cruzeiro joga o Campeonato Mineiro em busca de sua recuperação

Raposa aposta, em um primeiro momento, em jogadores das categorias de base e em poucos medalhões

Indefinições, muitos jogadores saindo, poucos chegando e time titular e elenco ainda em formação. Em um processo complicado de reconstrução, enfrentando diversos problemas e uma grave crise, o Cruzeiro entra no Mineiro de 2020 da forma que não queria.

No ano em que a Raposa disputará a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez em sua história e terá a volta para a elite como principal objetivo na temporada, o Estadual é importante para a Raposa se preparar bem visando à disputa da Segunda Divisão.

No entanto, Adilson Batista tem muitos problemas não só para testar, mas até mesmo para formar um time.

O treinador tem desenhado Léo e Cacá como dupla de zaga, testou Ramon, contratado, mas com permanência ainda indefinida, como volante, porém não teve como formar um meio-campo completo, por ter poucos meias à disposição, e ainda enfrenta problemas também no ataque.

Os jovens Judivan, Popó e Welinton são as opções garantidas, enquanto Fred tem situação indefinida, assim como o armador Rodriguinho e o volante Ariel Cabral.

Já nas laterais, Edilson, de forma inesperada, seguirá no clube, enquanto Marcelo Hermes, que retorna de empréstimo, deve ocupar a esquerda. Ainda vale lembrar que Robinho acertou sua permanência de forma inesperada, mas é desfalque.

Não à toa, Adilson Batista não conseguiu comandar um treino sequer com dois times completos na pré-temporada, e o Cruzeiro já cancelou dois treinamentos em janeiro.

A situação está longe de ser ideal, mas o treinador prega coragem e confiança para vencer o desafio.

“No mundo ideal, melhor seria ter tudo pronto, mas a gente sabe que muita coisa no Cruzeiro precisa ser mudada, e isso não acontece de um dia para o outro. Fui o escolhido para participar desse processo. Como disse no ano passado, era um ato de coragem, mas principalmente de amor e respeito ao Cruzeiro”, declarou ao SUPER.FC.

“Os novos diretores que estão hoje no clube procuram fazer o melhor. Então, o que eu peço ao torcedor é paciência, porque eles precisam consertar muitos erros. E eu vou procurar relevar e entender. Esse impasse faz parte do processo. O Cruzeiro está se reerguendo. E vamos ter o Campeonato Mineiro todo para ajustar esse time. Lógico que ganhar o Estadual será bom, mas precisamos montar um time. O principal objetivo é o acesso”, completou

Muitas saídas

Em grave crise financeira, devendo três meses de salários, férias, 13º e FGTS para os jogadores do profissional, tirando os mais jovens, que não receberam “apenas” o mês de dezembro, o Cruzeiro viu vários atletas deixarem o clube.

Jadson, Henrique e Marquinhos Gabriel foram emprestados. Já Orejuela, Egídio, Dodô, Thiago Neves, Fabrício Bruno, Joel e David deixaram o Cruzeiro. Dedé e Manoel ainda têm situações indefinidas. E a Raposa ainda lida com o jovem volante Éderson, que foi mais um a acionar o clube na Justiça.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.