Cruzeiro e Thiago Neves não chegam a acordo, e rescisão será discutida na Justiça

Jogador cobra R$ 16 milhões do clube por causa de salários atrasados

O Cruzeiro informou que o processo de rescisão com o meia Thiago Neves será mesmo resolvido na Justiça do Trabalho. Ocorrida nesta terça-feira, a reunião entre a diretoria do clube e o empresário do atleta, Leandro Lima, não resultou em acordo amigável.

Em ação ajuizada no dia 20 de dezembro, Thiago Neves cobra R$ 16 milhões por causa de atrasos em salários, direitos de imagem e outras verbas trabalhistas.

Houve, inclusive, tentativa de rompimento unilateral do contrato, por meio de liminar impetrada pelos advogados do camisa 10 no dia 25 de dezembro. Na ocasião, o desembargador Manoel Barbosa da Silva, do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), indeferiu o pedido.

Thiago Neves não compareceu à reapresentação do elenco nessa segunda-feira, na Toca da Raposa II, e nem tampouco ao treinamento desta terça. Ele tem contrato com o clube até dezembro de 2020.

Decisivo nos títulos consecutivos da Copa do Brasil, em 2017 e 2018, Thiago Neves caiu de rendimento em 2019. Fora de campo, envolveu-se em várias polêmicas, tendo criticado de maneira veemente o ex-técnico do clube, Rogério Ceni, que era admirado pelos torcedores celestes.

Para piorar a relação com os aficionados do clube, o camisa 10 desperdiçou um pênalti na derrota por 1 a 0 para o CSA, no Mineirão, pela 35ª rodada do Brasileiro. Esse revés teve ‘peso’ significativo na campanha do inédito rebaixamento à Série B, decretado no revés diante do Palmeiras, por 2 a 0, também no Gigante da Pampulha, em 8 de dezembro.

A situação de Thiago Neves no Cruzeiro ficou insustentável às vésperas da partida contra o Vasco, pela 36ª rodada da Série A. Vetado da viagem ao Rio de Janeiro por causa de edema na coxa esquerda, o jogador compareceu a um show de pagode no Mineirão, o que irritou profundamente o então gestor de futebol Zezé Perrella e ocasionou no afastamento definitivo do grupo. Ainda assim, o meia terminou o Brasileiro como artilheiro do Cruzeiro, com seis gols em 27 partidas.

Antes de acionar a Justiça, Thiago Neves afirmou ao canal Fox Sports que cogitaria reduzir o salário para disputar a Série B. “Eu vi pouca coisa. O Zezé fala tanta coisa que não dá nem para saber o que ele falou o que ele não falou. Para ser bem sincero, eu prefiro nem sentar com ele para conversar, sento com outras pessoas que eu acho que talvez são mais honestas e justas e que eu respeito mais. Para ficar no Cruzeiro ano que vem eu toparia (redução de salário)”, declarou, no dia 9 de dezembro.

Apresentado nessa segunda-feira como novo de diretor de futebol do Cruzeiro, Ocimar Bolicenho se mostrou confiante em chegar a um entendimento com Neves – o que acabou não acontecendo.

“Espero que o Thiago Neves venha para a sede, que a gente possa conversar e saber o que ele pensa. As pessoas que estão aqui não estavam há um mês. Thiago Neves é formado no Paraná. Quem sabe essa proximidade nossa não possa abrir uma conversação melhor do que foi conduzida até agora”.

No Cruzeiro desde janeiro de 2017, Thiago Neves marcou 41 gols e deu 23 assistências em 151 jogos. Foram quatro títulos conquistados no período: dois do Campeonato Mineiro (2018 e 2019) e duas Copas do Brasil (2017 e 2018).

Fonte: Super Esportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.