Com mudanças no ataque, Atlético terá que ir ao mercado em busca de nova opção

No segundo semestre da temporada 2019, o Atlético sofreu para fazer gols com os seus centroavantes. Apenas Franco Di Santo (quatro) e Ricardo Oliveira (uma) balançaram as redes adversárias. Para o próximo ano, o clube deve ter mudanças na posição.
O jovem Alerrandro, que balançou as redes pela última vez em junho, foi vendido para o Bragantino.

Ele custou cerca de 4 milhões de euros ao clube paulista. Já Ricardo Oliveira tem vínculo com o Galo até o fim de 2020 e tem futuro incerto.

Algumas equipes do futebol brasileiro têm interesse em Ricardo Oliveira. A intenção do Atlético é rescindir com o jogador, que amargou o banco de reservas no segundo semestre de 2019. Se outro clube quiser contar com o atacante, a diretoria do Galo não vai fazer jogo duro para a saída do atleta.
Com isso, restaria apenas Franco Di Santo. O centroavante argentino não é unanimidade entre os torcedores, mas deve permanecer no clube como opção para o futuro treinador.

Sérgio Sette Câmara pretende contratar até seis reforços para a próxima temporada e atacantes estão na pauta.

“Vamos buscar de quatro a cinco reforços, sempre pensando no seguinte: a gente vai tentar buscar aí uns dois nomes de peso, dois, três nomes de peso, e dois, três nomes que possam chegar, vestir a camisa, performar e dar retorno”, revelou o presidente.

Tudo, no entanto, vai passar por decisão do próximo treinador do Atlético. O clube ainda está na busca do substituto de Vagner Mancini, que não vai permanecer no comando da equipe. Com o próximo técnico definido, a diretoria partirá para a escolha de nomes.
Fonte: Portal Uai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.