Perrella critica excesso de empates do Cruzeiro e crê que Avaí receberá ‘mala branca’ como motivação em jogo no Mineirão

Time celeste jogará contra equipe catarinense nesta segunda, no Mineirão

Beneficiado pelos tropeços de Fluminense, Ceará e Botafogo, o Cruzeiro depende de vitória sobre o Avaí, às 20h desta segunda-feira, no Mineirão, para sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e subir ao 14º lugar. O gestor de futebol Zezé Perrella reforçou a confiança na permanência na elite nacional, porém criticou o excesso de empates – 14 em 32 rodadas. Na opinião dele, o time deixou escapar pontos importantes nos duelos recentes contra Fortaleza e Bahia.

Acredito piamente que o Cruzeiro não caia. Mas que é preocupante, é. Nós não estamos praticando um futebol melhor que os outros na mesma situação. Quatro times brigando, e uma vaga para cair. O Cruzeiro está brigando para não cair. Eu tenho muita esperança que a gente não caia, isso só depende de nós. Mas estamos empatando muito. O Cruzeiro empatou dois jogos dentro do Mineirão com Fortaleza e Bahia que tinha extrema necessidade de vencer”, afirmou o dirigente, em entrevista à Rádio Itatiaia.
Inclusive, Perrella acredita que o Avaí, lanterna do Brasileiro, receberá ajuda financeira de um terceiro interessado para se motivar no duelo contra o Cruzeiro. O benefício, segundo ele, seria pago não necessariamente por diretores, mas por algum torcedor de grande poder aquisitivo que deseja ver o clube do coração escapar da queda à Série B.
“Não pense que há adversário fraco. O Avaí vem aí sem compromisso nenhum, mas pode ter certeza de que vem turbinado com algumas coisas que clubes oferecem. É a mala do bem. Isso existe, não há como negar. Não digo que parta nem dos clubes, mas uma pessoa que adora o time dele e tem dinheiro, chega ao capitão e fala: ‘olha, tem 100 mil aqui para vocês não perderem’. Ou seja, para eliminar o Cruzeiro”, ressalta.
A gente não é bobo para dizer que não existe. Não digo que parta dos clubes, mas dinheiro de pessoas no entorno do clube que se preocupam. Até porque para o cara que tem muita grana, 100 mil não é muito dinheiro assim, né?! R$ 100 mil para um cara que não recebe salário, está caindo – não digo que seja o caso do Avaí, mas do futebol -, é possível que eles venham turbinados neste sentido. Não será um jogo fácil”, completa Zezé.
Casos de ‘mala branca’ são passíveis de punições no direito desportivo. Em junho de 2019, o Tribunal Pleno do STJD aplicou suspensão de um ano e multa de R$ 20 mil a Zezinho Freire, presidente do Botafogo-PB, por oferecer incentivo financeiro para o Altos-PI vencer ou empatar a partida contra o Náutico, pela Copa do Nordeste de 2018. Na ocasião, o duelo terminou empatado por 2 a 2.

O episódio veio a público na Operação Cartola, conduzida pela Polícia Civil e pelo Ministério Público da Paraíba sobre suposto esquema de combinação de resultados no futebol. Warton Lacerda, dirigente do Altos, confirmou a oferta do Botafogo-PB em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo. O fato motivou a denúncia da Procuradoria-Geral do STJD e a consequente punição no Pleno.

No caso do Avaí, não houve nenhuma manifestação por parte de um dirigente a respeito de ‘mala branca’. Com apenas 17 pontos em 32 jogos, o clube catarinense é virtual rebaixado à Série B. Por sua vez, o Cruzeiro tentará a vitória no Mineirão para alcançar 38 pontos e ultrapassar Fluminense, Botafogo e Ceará na classificação.
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.