Imagens do circuito interno de TV do Mineirão serão usadas para investigar brigas no clássico

Polícia Civil analisará os vídeos para identificar os infratores

Minas Arena, administradora do Mineirão, informou que repassou as imagens do circuito interno do estádio para a Polícia Civil, que investiga as brigas no clássico entre Cruzeiro Atlético (0 a 0), no último domingo.

Nessa quarta-feira, a concessionária disse que rompeu o contrato com o proprietário do camarote onde torcedores do Cruzeiro e do Atlético entraram em confronto. A administradora do estádio ainda multou o permissionário responsável pelo local, por entender que houve “conduta inadequada de convidados”.

O jogo ainda foi palco de atos de injúria racial contra o segurança Fábio Coutinho por dois atleticanos. Adrierre Siqueira da Silva já admitiu em entrevista à imprensa que disse com menosprezo “olha a sua cor” e que cuspiu em Coutinho. O irmão dele, Natan Siqueira Silva, nega que tenha chamado o segurança de “macaco”. Ele afirmou que a palavra dita foi “palhaço”.

Confira a nota divulgada pela Minas Arena


Com relação aos fatos ocorridos no clássico entre Cruzeiro e Atlético do último domingo, o Mineirão está colaborando com os órgãos competentes e repassou à Polícia Civil todas as informações recebidas e que possam contribuir com as investigações.

O Mineirão afirma também que os arquivos do circuito interno do estádio são repassados aos órgãos competentes sempre que solicitados formalmente.

 

Confusão no Mineirão

Mineirão virou praça de guerra após o empate por 0 a 0 entre Cruzeiro e Atlético. Cruzeirenses e atleticanos se enfrentaram em confusão que envolveu invasão de setor, quebra de cadeiras, bombas de efeito moral e gás de pimenta.
A confusão se iniciou pouco depois de o jogo acabar, por volta das 18h. Torcedores de Atlético e Cruzeiro começaram a se provocar com cânticos.
Em dado momento, um torcedor do Cruzeiro, instalado em um dos camarotes, atirou uma garrafa nos atleticanos.
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.