Procurador do STJD pode denunciar Cruzeiro e Atlético por atos de violência das torcidas no clássico; Mineirão corre risco de ser interditado

Jogo entre Cruzeiro e Avaí, no dia 18, corre risco de ser transferido

O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça de Desportiva (STJD), Felipe Bevilacqua, apresentará denúncia até no mais tardar na próxima quarta-feira pelos atos de violência das torcidas de Atlético e Cruzeiro no clássico de domingo, no Mineirão. Os dois clubes podem ser denunciados. O Mineirão, por sua vez, corre o risco de ser interditado.

Os clubes podem ser incursos no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): “deixarem de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em praça de desporto”. Há risco de perda de mando de campo de um a dez jogos ou de multa que vai de R$ 100 a R$ 100 mil.
Em entrevista à Rádio Itatiaia, o procurador Felipe Bevilacqua disse que está avaliando imagens dos conflitos no Mineirão para apresentar as denúncias. “A procuradoria do STJD vem recebendo muito material, muita informação sobre esse jogo da rodada passada, entre Cruzeiro e Atlético. Realmente, cenas lamentáveis de violência dentro do estádio, coisas que não víamos há bastante tempo no futebol. Estamos avaliando tudo com muita cautela, com muita parcimônia para saber efetivamente qual é a proporção de responsabilidade da equipe mandante, no caso o Cruzeiro, e da equipe visitante, do Atlético. Provavelmente, após todas essas análises, creio que a denúncia será ofertada até amanhã (terça-feira) ou quarta-feira, no máximo”, declarou.

Injúria racial

Os torcedores responsáveis por injúria racial contra o segurança Fábio Coutinho, da Minas Arena, também podem ir a julgamento no STJD por se enquadrarem no artigo 243-G do CBJD. “Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. O artigo prevê multa e impedimento de ir a estádios por até 720 dias.

Mineirão

Por causa das depredações ocorridas no Mineirão, o estádio pode até ser interditado. O procurador disse que tomará ciência das condições de infra-estrutura. O jogo entre Cruzeiro e Avaí, dia 18, corre risco de ser transferido. “A procuradoria analisa também, minuciosamente, as questões de infraestrutura do estádio. Saber até que grau houve a depredação do estádio e se o estádio se encontra em condições para receber o próximo jogo como mandante, no caso do Cruzeiro. Eventualmente, (a procuradoria) estuda até uma interdição do estádio, caso essa avaliação seja negativa”, disse Felipe Bevilacqua.
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.