Abel vê jogo do Cruzeiro inferior ao do Atlético e avisa: ‘Precisamos de pontos’

Técnico ressalta necessidade de vitórias do time celeste na Série A

O técnico Abel Braga considerou o Atlético ligeiramente superior ao Cruzeiro no clássico deste domingo, no Mineirão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para ele, sua equipe dominou somente a primeira meia hora, enquanto o adversário se mostrou mais próximo de balançar a rede no restante da etapa inicial e em todo o segundo tempo. No fim das contas, ninguém marcou e o jogo terminou empatado por 0 a 0.

“Hoje foi nítido que nós caímos. O jogo foi resolvido para nós em 30 minutos bem jogados, sufocando, apesar do calor. Depois, eles conseguiram encaixar, principalmente porque vieram para o meio-campo com Otero e Luan, e nós começamos a ter dificuldades. A partir desse posicionamento deles, nós não conseguimos nos posicionar. Apesar de ter mais posse de bola, 60% a 40%, e oito chances de gol contra cinco, eles tiveram mais escanteios. O escanteio do Atlético é uma coisa de louco. O Otero bateu os escanteios do lado esquerdo todos no mesmo lugar, com muita potência e força. Se encostou a cabeça, é gol. Ali nós saímos muito bem. Mas, no todo, foi um jogo ruim, não teve beleza, e eu acho que se juntar tudo, nós não fizemos um grande jogo. Achei o Atlético ligeiramente superior”, analisou o treinador.
“Tivemos 30 minutos muito bons. Depois, a coisa complicou. Quero o simples. O simples é que vai me dar solução. Hoje antes do jogo eu disse a eles o seguinte: o tempo tem dois lados. Ele quer aquele lado que te favoreça e faz benefícios. Mas se você tiver pressionado, ele é mortal. E o tempo está acabando. Nós não podemos nos dar o luxo de, num clássico em 0 a 0, tentar uma jogada de efeito. Inclusive, só os jogadores do meu time escorregaram. Que diabo de chuteira é essa que vocês entraram? Escorregamos muito, e não vimos isso no adversário. Foram 30 minutos de domínio absoluto (do Cruzeiro), mas depois o Atlético terminou o jogo muito melhor. De toda a maneira, foi um jogo ruim para o peso das equipes e das camisas. Pena que o torcedor tenha saído mais uma vez decepcionado. O Atlético somou mais um ponto, está próximo da saída. E nós temos tentar de nos recuperar no próximo jogo”, acrescentou.
O empate com o Atlético ampliou para dez jogos a sequência invicta do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Entretanto, são apenas três vitórias na série. Na opinião de Abel, o time precisa somar três pontos, e não se contentar com apenas um. “Não podemos esperar mais. No fundo, o primeiro critério é o número de vitórias, que temos poucas. Invencibilidade não te garante em lugar algum. Nós precisamos de pontos. Temos de tentar no próximo jogo, com todo respeito ao adversário. Ou matamos, ou morremos. Temos ainda que buscar umas três vitórias”.

Na classificação do Brasileiro, o Cruzeiro chegou a 35 pontos e subiu uma posição, já que o Fluminense, agora 16º, com 34, perdeu para o Internacional por 2 a 1, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Vale lembrar que o Botafogo, 17º, com 33, enfrentará o Avaí às 20h desta segunda-feira, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, pelo complemento da 32ª rodada. Se vencer, alcançará 36, empurrará o Flu ao Z4 e deixará a Raposa bem perto da degola.

O Cruzeiro voltará a campo pelo Brasileiro na próxima segunda-feira, dia 18, no Mineirão. O jogo contra o Avaí, lanterna do campeonato, está marcado para as 20h. Depois, a equipe celeste pegará Santos (fora), CSA (casa), Vasco (fora), Grêmio (fora) e Palmeiras (casa). Se conseguir as três vitórias mencionadas por Abel, contabilizará 44 pontos. Com essa campanha, conforme o Departamento de Matemática da UFMG, o risco de rebaixamento é de apenas 2,1%.

O empate com o Atlético ampliou para dez jogos a sequência invicta do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Entretanto, são apenas três vitórias na série. Na opinião de Abel, o time precisa somar três pontos, e não se contentar com apenas um. “Não podemos esperar mais. No fundo, o primeiro critério é o número de vitórias, que temos poucas. Invencibilidade não te garante em lugar algum. Nós precisamos de pontos. Temos de tentar no próximo jogo, com todo respeito ao adversário. Ou matamos, ou morremos. Temos ainda que buscar umas três vitórias”.

Na classificação do Brasileiro, o Cruzeiro chegou a 35 pontos e subiu uma posição, já que o Fluminense, agora 16º, com 34, perdeu para o Internacional por 2 a 1, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Vale lembrar que o Botafogo, 17º, com 33, enfrentará o Avaí às 20h desta segunda-feira, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, pelo complemento da 32ª rodada. Se vencer, alcançará 36, empurrará o Flu ao Z4 e deixará a Raposa bem perto da degola.

O Cruzeiro voltará a campo pelo Brasileiro na próxima segunda-feira, dia 18, no Mineirão. O jogo contra o Avaí, lanterna do campeonato, está marcado para as 20h. Depois, a equipe celeste pegará Santos (fora), CSA (casa), Vasco (fora), Grêmio (fora) e Palmeiras (casa). Se conseguir as três vitórias mencionadas por Abel, contabilizará 44 pontos. Com essa campanha, conforme o Departamento de Matemática da UFMG, o risco de rebaixamento é de apenas 2,1%.

Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.