Guga evolui defensivamente e ganha confiança com titularidade no Atlético

Jovem assumiu a posição no Galo e se destaca pelo bom número de desarmes

O início de Guga no Atlético mostrou um jogador com grande potencial ofensivo e defeitos na parte defensiva. Nos últimos meses, o lateral-direito evolui na marcação e ganhou a confiança da comissão técnica para seguir como titular. Desde a chegada de Vagner Mancini, o jovem atleticano, de 21 anos, lidera a equipe em desarmes.
Nos últimos cinco jogos, Guga foi titular em três – Palmeiras, CSA e Santos (contra Flamengo e Grêmio, únicas derrotas nessa sequência, ele estava com a Seleção Brasileira Sub-23). Nas oportunidades que teve, ele foi o jogador que mais conseguiu desarmes: foram oito, mesmo número de Luan. Apesar dos bons números, o lateral-direito foi responsável por cometer o pênalti em cima de Jonatan Gomez, do CSA, que garantiu ao time alagoano o empate por 2 a 2, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Guga jogou 13 vezes no Campeonato Brasileiro, todas como titular. Foram 24 desarmes na competição, média de 1,8 por jogo (Patric, em 16 jogos, soma 23 roubadas de bola). Nas últimas três rodadas, a média foi de 2,6. A evolução defensiva, comprovada pelos números, não fizeram o lateral-direito ser um jogador menos participativo nas ações ofensivas do Atlético.
Desde que reassumiu a titularidade, contra o Palmeiras, Guga soma três cruzamentos certos (dois errados), uma assistência e cinco para finalizações. No Brasileiro, ele tem quatro passes para gol, liderando, de forma isolada, o quesito na equipe.

Inconstância

Guga chegou ao Atlético no início do ano como uma aposta da diretoria para substituir o também jovem Emerson, vendido para o Barcelona. Assim como o antecessor, ele começou como reserva de Patric e, na reta final do Campeonato Mineiro, assumiu a titularidade da equipe.
Mesmo alternando boas e más atuações, o lateral-direito seguiu incontestável na equipe. No entanto, nas rodadas anteriores à pausa para a Copa América, Guga foi convocado para defender a Seleção Brasileira Olímpica em amistosos. Com isso, Patric assumiu a posição, jogou bem e se tornou o titular de Rodrigo Santana.
Patric também não conseguiu ser o dono da posição. Em sua reta final como treinador do Atlético, Rodrigo Santana voltou a escalar Guga como titular. Nos dois jogos em que Vagner Mancini comandou a equipe, o jovem de 21 anos foi escalado.
As boas exibições podem ajudar Guga a disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio, no próximo ano. Ele tem sido convocado constantemente pelo técnico André Jardine para disputar amistosos pela Seleção Olímpica. Mas o jovem do Atlético já pensa até mesmo no futuro. Nas últimas semanas, o lateral Fagner, da Seleção Brasileira, disse que o jogador do Galo é um dos concorrentes por uma vaga na lista de Tite para a Copa do Mundo de 2022.
Apesar de ainda não ter sido convocado para a equipe principal, Guga se mostrou feliz pelo reconhecimento de um concorrente de posição. “Me pegou um pouco de surpresa. Eu não estava esperando. Recebi um monte de mensagem, os amigos me mandando. O Fagner, no Brasil, é nossa referência na lateral direita, brigando na Seleção Brasileira com o Daniel Alves. Fiquei muito feliz por ter esse reconhecimento”, disse.
Com a presença de Guga, o Atlético vai tentar voltar a vencer fora de casa no Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, às 16h, o Galo visita o São Paulo, no Morumbi, em São Paulo, pela 28ª rodada da Série A. Após a boa vitória sobre o Santos, o alvinegro tentará emendar uma sequência de bons resultados para subir na classificação.
 Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.