Fase ruim de Ricardo Oliveira e Di Santo em evidência: Atlético pode ter mudança no ataque

Argentino marcou contra o Botafogo e pode ganhar chance contra o Internacional

Franco Di Santo é a nova esperança do ataque do Atlético. O argentino de 30 anos está em evidência no clube após marcar o primeiro gol com a camisa alvinegra, no último domingo, na derrota por 2 a 1, para o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro. Além do ‘fator novo’, a fase ruim de Ricardo Oliveira na equipe pode resultar em mudança na equipe titular para o duelo do Galo contra o Internacional, domingo, às 11h, no Independência, pela 19ª rodada da Série A.

Di Santo jogou duas vezes com a camisa do Atlético. Na estreia, contra o Bahia, ficou em campo por 34 minutos. Diante do Botafogo, foram 17 minutos e um gol. O atacante afirmou que espera ajudar a equipe da melhor forma nas próximas partidas.
“Eu espero que eu possa ajudar a equipe com gols e que venha a fazer muitos gols. O clube, quando me contratou, confiou em mim e espero fazer o possível para para retribuir a confiança que colocaram em mim”, destacou Di Santo.
Além de jogar como centroavante, Di Santo também pode atuar aberto pelos lados. Ele já fez a função no futebol europeu e não vê problemas em repetir o estilo de jogo no Galo. Ele afirma que a decisão é do técnico Rodrigo Santana.
“Sinto que posso fazer as duas funções. Também posso sair da área tranquilamente. Gosto muito de carregar a bola. E também me sinto capacitado para jogar dentro da área. Eu vou estar sempre à disposição para que a equipe e o técnico necessitarem”.
Briga por vaga no time
Ricardo Oliveira não vive boa fase com a camisa do Atlético. Nos últimos 20 jogos – 18 como titular -, ele fez apenas um gol. Além disso, o centroavante deu três assistências. A fase ruim do jogador pode fazer o técnico Rodrigo Santana optar por Di Santo no jogo contra o Internacional.
“A gente vai trabalhar durante a semana e, se tiver que fazer, a gente vai fazer alteração, buscar o nosso melhor. Porque no domingo não vai ser fácil, jogar pela manhã durante adversário muito duro”, disse o treinador.
Fase ruim dos centroavantes
Desde o retorno de futebol brasileiro após a pausa para a Copa América, o Atlético marcou 19 gols em 15 partidas realizadas. Os centroavantes foram pouco ativos: apenas Ricardo Oliveira e Franco Di Santo, uma vez cada, balançaram as redes.
Todos os centroavantes tiveram mais oportunidades que o argentino: Ricardo Oliveira jogou dez vezes, Alerrandro jogou sete vezes e Papagaio foi acionado em cinco oportunidades.
No período, o artilheiro do Atlético é o meia Vinícius, com quatro gols. Em sequência está o equatoriano Cazares, com três.
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.