Rogério Ceni desmente Thiago Neves sobre divulgação de escalação do Cruzeiro aos atletas: ‘Nunca é só três horas antes do jogo’

Treinador afirmou que meia se incomodou com o fato de o lateral-direito Edilson ter ficado no banco de reservas contra o Inter, pela Copa do Brasil

Thiago Neves afirmou na última quarta-feira, depois da eliminação na semifinal da Copa do Brasil, que a escalação do Cruzeiro para enfrentar o Internacional havia sido informada aos atletas somente três horas antes do jogo. A declaração do camisa 10 voltou a repercutir neste domingo, na entrevista de Rogério Ceni após a goleada sofrida para o Grêmio, por 4 a 1, no Independência, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

No princípio da resposta, Rogério elogiou Thiago Neves, a quem considera, “com a cabeça boa”, de grande importância para o grupo. Na opinião do treinador, o meia usou aquelas palavras pelo fato de Edilson, um de seus grandes amigos no elenco, ter ficado no banco de reservas. Ceni preferiu improvisar o volante Jadson, já que o lateral-direito, em entrevista ao Globoesporte.com, havia se queixado de falta de ritmo para suportar o peso de um jogo importante como foi contra o Internacional.
Não estamos aqui para crucificar o Thiago, algo assim. Muito pelo contrário, é um jogador que tem uma história no clube. Dentro de suas melhores condições e com a cabeça boa, é um jogador importante para a gente. Às vezes o que aconteceu, acredito muito na declaração do Thiago, foi porque viu um amigo no banco de reservas, que, no caso, foi o Edilson. Houve a improvisação do Jadson na lateral direita. De resto, se você pegar o time que jogou contra o Internacional, é o mesmo que jogou contra Vasco e CSA, todos conhecedores de sua posição”.
Na sequência da entrevista, Rogério foi categórico ao dizer que os jogadores já tinham conhecimento da opção por Jadson, diferentemente do alegado por Thiago Neves. O comandante cruzeirense esclareceu também a tomada de decisões por questões profissionais, e não baseado em amizades. Segundo ele, se não for desse jeito, precisa “passar a vez” a outro profissional.

“A escalação nunca é divulgada só três horas antes do jogo. Quero deixar isso bem claro. Mas tenho o maior respeito. E mais do que amigo ou emocional, sou profissional. Entendo o nervosismo na saída do jogo, é um momento difícil, você quer tentar uma explicação. Mas não temos um ou outro jogador culpado. Só tenho que, de alguma maneira como treinador, se for para ficar no Cruzeiro, preciso fazer alguma coisa diferente. Se não, preciso passar a vez a outra pessoa que tenha uma mentalidade diferente para continuar no Cruzeiro”.Derrotado pelo Grêmio em Belo Horizonte, o Cruzeiro estacionou na 16ª colocação do Brasileiro, com 18 pontos em 18 rodadas (quatro vitórias, seis empates e oito derrotas). O próximo adversário é o Palmeiras, comandado pelo técnico Mano Menezes. As equipes medem forças no sábado (14/9), às 19h, no Allianz Parque, em São Paulo.

Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.