Com show de Pedro Rocha, Cruzeiro goleia Atlético e fica perto de vaga na semifinal da Copa do Brasil

Escalado no lugar de Fred, atacante marcou belo gol de fora da área e deu assistência para o segundo, de Thiago Neves. Robinho completou o placar no Mineirão

Escalado de maneira inesperada pelo técnico Mano Menezes no lugar de Fred, o atacante Pedro Rocha foi protagonista do clássico desta quinta-feira, no Mineirão, pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Ele marcou o primeiro gol do Cruzeiro, em belo chute de fora da área, e deu assistência a Thiago Neves no segundo, após roubar bola no meio-campo e deixar os defensores do Atlético para trás. A goleada celeste por 3 a 0 foi definida no segundo tempo, em finalização de Robinho.

O triunfo elástico serviu para lavar a alma dos milhares de cruzeirenses, que, durante o período de paralisação para a Copa América, acompanharam as denúncias de irregularidades praticadas por integrantes da diretorias e as consequentes investigações da Polícia Civil e do Ministério Público na administração do clube. Em campo também houve alívio, pois a equipe acumulava nove jogos sem vitória na temporada (quatro empates e cinco derrotas).

O reencontro entre Cruzeiro Atlético acontecerá na próxima quarta-feira, às 19h15, no Independência. Para avançar no tempo normal, o alvinegro precisa ganhar por quatro gols de vantagem. Se vencer por três de diferença, levará a decisão aos pênaltis. Já a Raposa pode perder por até dois gols. Lembrando que na Copa do Brasil não existe mais a regra do gol qualificado como visitante.
Antes, as duas equipes jogam pelo Campeonato Brasileiro. Em 18º lugar na classificação, com oito pontos em nove rodadas, o Cruzeiro receberá o Botafogo no domingo, às 16h, no Mineirão. O Atlético, que está em quinto, com 16 pontos, visitará a Chapecoense, às 19h de domingo, na Arena Condá, em Chapecó.

O jogo

As comissões técnicas adotaram táticas distintas em suas preparações ao longo da semana. No AtléticoRodrigo Santana comandou alguns treinos abertos para a imprensa e não fez mistério na escalação. Por sua vez, Mano Menezes, como de praxe, permitiu que os jornalistas acompanhassem no máximo o aquecimento no Cruzeiro. E nas atividades fechadas, decidiu fazer uma mudança surpreendente: tirou Fred, artilheiro do time em 2019, com 16 gols, e colocou Pedro Rocha, que já havia atuado como centroavante enquanto atleta do Grêmio, em 2017.
Nos primeiros minutos, o Atlético adiantou sua marcação com o intuito de forçar erros na saída de bola do Cruzeiro. Aos 3min, Luan encontrou espaço para bater a gol próximo à meia-lua, mas o chute foi fraco, ao centro da meta, facilitando a defesa de Fábio. Nos lances seguintes, o Galo teve oportunidade em cobranças de falta e escanteio, porém a defesa celeste se mostrou atenta e bem posicionada para afastar o perigo.
Somente a partir dos dez minutos é que o Cruzeiro começou a ser mais incisivo no ataque. E aos 12min, Pedro Rocha, escalado por Mano no lugar Fred, protagonizou um lindo lance no Mineirão. Ele recebeu passe de Henrique, deu belo drible em Elias e soltou a bomba de pé esquerdo, no ângulo de Victor: 1 a 0.
Pedro Rocha estava disposto a dar razão a Mano Menezes pela escolha. Aos 25min, ele se aproveitou de toque errado de Réver para Zé Welison, roubou a bola ainda no meio-campo e partiu em velocidade. Ninguém do Atlético o alcançou. Ao entrar na grande área, o camisa 32 driblou Victor e só rolou para Thiago Neves ampliar o placar: 2 a 0. Na comemoração, o meia do Cruzeiro “lustrou” as chuteiras do atacante em tom de agradecimento.
Abatido com a falha, o Atlético mostrou lentidão na transição do campo de defesa para o ataque e não conseguiu explorar a velocidade de Chará e a habilidade de Cazares. Por vezes, o setor de armação tentava forçar o passe ou o lançamento e facilitava o trabalho da defesa rival. Já o Cruzeiro desperdiçou ótima chance de contragolpe aos 40min, quando Victor errou a bola longa e deu de presente para Thiago Neves. O camisa 10 poderia ter tocado para Robinho, mas tentou finalizar do meio-campo e falhou por muito.
No intervalo do clássico, Pedro Rocha comemorou o sucesso da alteração feita por Mano Menezes. “Ele queria mobilidade e um pouco mais de velocidade na frente. Ele optou por mim, para jogar mais centralizado. Acredito que a estratégia está dando certo”, afirmou, ao SporTV.
Já Zé Welison lamentou o equívoco na saída de bola na jogada do segundo gol da Raposa. “Um lance que a gente vem treinando, aconteceu um erro. A bola veio distante de mim. A gente tem que melhorar isso aí para não dar oportunidades à equipe adversária. A gente sabe que é uma equipe forte, qualificada”.
Satisfeito com a atuação do Cruzeiro, Mano Menezes manteve a formação para o segundo tempo, ao passo que Rodrigo Santana chamou o meia Rómulo Otero, notabilizado pela potência no chute de pé direito, e substituiu Luan.
A entrada de Otero pouco acrescentou ao Galo, que, além da falta de inspiração para atacar, continuou a errar em seu próprio campo. Num desses lances, aos 9min, Elias perdeu para Marquinhos Gabriel, e a bola sobrou aos pés de Robinho. No primeiro chute, a redonda carimbou em Réver, mas Victor já havia caído para o lado direito. No rebote, o meia cruzeirense ajeitou no peito e finalizou com a meta praticamente vazia: 3 a 0.
Confortável no placar, o Cruzeiro administrou o resultado e ainda teve algumas oportunidades de encaixar contragolpes. Em dado momento, o técnico Mano Menezes se virou para as arquibancadas e fez um sinal pedindo “calma” à torcida, que ensaiava os primeiros gritos de “olé”. Os cruzeirenses entenderam o recado e passaram a entoar exclusivamente cantos de apoio, sem menosprezar o adversário. Já o Atlético não teve poder de reação para diminuir o prejuízo. Os melhores momentos do time foram dois escanteios fechados de Otero, ambos defendidos por Fábio.
CRUZEIRO 3X0 ATLÉTICO
CRUZEIRO
Fábio; Lucas Romero, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral; Robinho (Fred, aos 27min do 2ºT), Thiago Neves (David, aos 46min do 2ºT) e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha (Jadson, aos 31min do 2ºT)
Técnico: Mano Menezes
ATLÉTICO
Victor; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Zé Welison (Jair, aos 30min do 2ºT) e Elias; Chará, Luan (Otero, no intervalo) e Cazares (Geuvânio, aos 20min do 2ºT); Alerrandro
Técnico: Rodrigo Santana

Gols: Pedro Rocha, aos 12min, Thiago Neves, aos 25min do 1ºT; Robinho, aos 9min do 2ºT (CRU)

Público: 46.113 torcedores
Renda: R$ 2.190.896,00
Motivo: jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil
Estádio: Mineirão
Data: quinta-feira, 11 de julho de 2019
Árbitro: Raphael Claus (FIFA/SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA/SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (FIFA/SP)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Assistentes do VAR: Vinícius Furlan (SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm