Sem Dedé, Mano avalia critérios para definir zaga do Cruzeiro na Copa Libertadores

Técnico escolherá Murilo ou Fabrício Bruno para jogo contra o Huracán

Por causa da expulsão no empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores de 2018, no Mineirão, o zagueiro Dedé desfalcará o Cruzeiro na primeira rodada do Grupo B da edição de 2019 do torneio continental. O técnico Mano Menezes escolherá Murilo ou Fabrício Bruno para fazer dupla com Leo na partida contra o Huracán, dia 7 de março (quinta-feira), às 19h, no estádio El Palacio, em Buenos Aires, na Argentina.

Segundo Mano Menezes, Murilo sai na frente por estar há mais tempo no grupo cruzeirense e ter participado de partidas importantes, como ocorreu nas últimas fases da Copa do Brasil de 2017, quando atuou ao lado de Leo e teve boas atuações na campanha do título. Entretanto, o treinador pode repensar a opção, principalmente por considerar o Huracán perigoso na bola aérea. Nesse caso, Fabrício Bruno, de 1,92m – mesma estatura de Dedé -, estaria em vantagem (Murilo mede 1,88m).

“O Murilo larga na frente pelo histórico que tem conosco em termos de confiança. Já jogou em muitos jogos importantes, foi campeão da Copa do Brasil (em 2017) fazendo dupla com Leo (…). Mas isso não quer dizer que quem larga na frente, chega na frente. Futebol não é só largada, é chegada”, afirmou Mano.
“Vamos ver, vamos analisar bola aérea, jogaremos contra uma equipe que tem uma bola aérea muito boa, já começamos a estudar. Às vezes a característica de um se adequa mais a uma situação específica daquele jogo. Então podemos ter alguma decisão um pouquinho diferente lá no final. Vamos chegar lá bem”, acrescentou o comandante.

Murilo e Fabrício Bruno jogaram juntos na base do Cruzeiro. Em 2016, eles formaram a zaga do time que chegou às semifinais da Copa São Paulo de Futebol  Júnior (derrota de virada para o Corinthians, por 2 a 1). No time profissional, ainda não fizeram parceria. Em 2019, Murilo atuou em três partidas (duas como titular), enquanto Fabrício participou de um jogo na condição de suplente.

No Huracán, os principais jogadores do setor ofensivo com qualidade na bola aérea são Lucas Barrios, ex-Palmeiras e Grêmio, que mede 1,87m, e Andrés Chávez, ex-São Paulo, com 1,84m. Pelo Campeonato Argentino, El Globo faz boa campanha: está em quinto lugar, com 32 pontos em 19 rodadas (oito vitórias, oito empates e três derrotas).

Da redação:superesportes

Em dia de folga no Cruzeiro, Thiago Neves faz trabalho de recuperação na Toca da Raposa II

Meio-campista trata lesão na panturrilha direita desde o último dia 9

A segunda-feira foi de folga para a maioria do elenco do Cruzeiro, mas não para Thiago Neves. Ausente no empate por 1 a 1 com o América, nesse domingo, no Independência, o meia aproveitou o dia para dar andamento ao trabalho de recuperação na Toca II. O camisa 10 está no departamento médico desde 9 de fevereiro, quando sofreu uma lesão na panturrilha direita durante uma atividade no CT.

No Instagram, ele publicou uma imagem chegado à Toca II e dando ‘bom dia’ aos seguidores.

Na data da lesão, o Cruzeiro informou que o quadro não era grave, mas que Thiago passaria por um tratamento mais conservador. Em função disso, ele ainda deverá desfalcar o time celeste nos próximos compromissos. Não há uma previsão de retorno aos gramados, mas a expectativa é que o camisa 10 fique à disposição de Mano Menezes para a estreia do time na Copa Libertadores, em 7 de março, contra o Huracán, na Argentina.
Durante os trabalhos de pré-temporada, Thiago já havia machucado a panturrilha direita, problema que o deixou de fora de dois jogos-treino e das duas primeiras rodadas do Campeonato Mineiro. O departamento médico celeste garantiu que a lesão atual não tem relação com a enfermidade anterior.
Enquanto não tem Thiago Neves, Mano Menezes aproveita para dar ritmo de jogo ao meia Rodriguinho, contratado em meados do mês passado. O jogador foi titular nos últimos três jogos: vitórias por 3 a 0 sobre Villa Nova e Tupynambás e empate por 0 a 0 com o América.
Foto: Web

Foto: Web

Autor de golaço na Libertadores, artilheiro do Defensor é velho conhecido de zagueiro do Atlético

Igor Rabello jogou ao lado de Álvaro Navarro no Botafogo na temporada 2015

De cara, os cabelos grisalhos chamam atenção de quem assiste a jogos do Defensor-URU. Mas não é apenas pela aparência que Álvaro Navarro é notado. O centroavante de 34 anos é um dos principais perigos ofensivos do rival do Atlético na terceira fase da Copa Libertadores. Como pará-lo? Nada melhor que perguntar a quem o conhece bem.

O zagueiro Igor Rabello foi companheiro de Navarro nos tempos de Botafogo. E o jogador uruguaio foi lembrado quando o defensor do Atlético analisava o sistema ofensivo do Defensor. “Sabemos como são os times do Uruguai. São times competitivos. Sabemos que a equipe do Defensor gosta muito do jogo aéreo. Tem um jogador que conheço, que é o Navarro, na frente, que jogou no Botafogo. Então, a gente está treinando para desempenhar o melhor futebol”, avaliou.
Com 1,86m, Navarro é uma das opções de jogo aéreo do Defensor. Ele foi anunciado como reforço do Botafogo em 16 de julho de 2015. A saída foi em dezembro da mesma temporada por falta de acordo por renovação contratual com a diretoria alvinegra. Apesar do pouco tempo de casa, o atacante deixou saudades. Marcou nove gols em apenas 15 partidas e foi o artilheiro da equipe na campanha do título da Série B.
 
Destaque na Libertadores
E Igor Rabello tem razão ao citar Navarro como um dos principais jogadores do time uruguaio. Dos pés dele saíram dois dos sete gols do Danubio em quatro partidas nesta edição da Copa Libertadores. O mais bonito certamente foi na derrota por 2 a 1 (que nos tribunais se tornou em vitória por 3 a 0 em função da escalação irregular do volante Sebastián Pérez) para o Barcelona de Guayaquil-EQU.
Navarro foi formado nas categorias de base do Defensor. De lá, partiu para o futebol da Argentina, onde defendeu Gimnasia-ARG e Godoy Cruz-ARG. Retornou ao clube que o revelou para, pouco tempo depois, jogar no Cobresal-CHI. Rodou ainda por Olmedo-EQU, Botafogo e Puebla-MEX antes de voltar ao rival do Atlético.
O duelo de ida da terceira fase da Copa Libertadores está marcado para 21h30 desta quarta-feira, no estádio Luis Franzini, em Montevidéu, a capital uruguaia. A volta será na quarta-feira seguinte, 27 de fevereiro, no mesmo horário, em Belo Horizonte. A equipe que avançar disputará o grupo E, que conta com Nacional-URU, Cerro Porteño-PAR e Zamora-VEN.
Da redação:superesportes

Com mistério, Atlético faz último treino antes de viagem ao Uruguai; veja a provável escalação

Time alvinegro tem compromisso decisivo pela Libertadores nesta quarta

Como de praxe, o técnico Levir Culpi adotou o mistério na preparação do Atlético para um jogo de Copa Libertadores. A dois dias da partida diante do Defensor-URU, o comandante alvinegro fechou o treinamento da tarde desta segunda-feira, na Cidade do Galo. Os jornalistas só puderam acompanhar parte do aquecimento.

Sob chuva, todos os jogadores inscritos na Libertadores – com exceção do lesionado Gustavo Blanco – estiveram no gramado principal do CT. Apesar de todo o mistério, a tendência é que a equipe que iniciou os duelos de ida e volta contra o Danubio, pela segunda fase da competição continental, seja mantida.
Se assim ocorrer, o time titular do Atlético terá Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson e Elias; Luan, Cazares e Chará; Ricardo Oliveira.
Foi o último treinamento do Atlético antes da viagem a Montevidéu, capital do Uruguai. A delegação alvinegra deixa Minas Gerais em voo marcado para 22h30 desta segunda-feira, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Região Metropolitana da capital.
Atlético e Defensor se enfrentam a partir das 21h30 desta quarta-feira, pela ida da terceira fase da Libertadores. O jogo será no estádio Luis Franzini, em Montevidéu. A volta será em Belo Horizonte, na quarta-feira seguinte, dia 27 de fevereiro, no mesmo horário. O time que avançar disputará o grupo E, que conta com Nacional-URU, Cerro Porteño-PAR e Zamora-VEN.
Da redação:superesportes

MP oferece denúncia contra Itair Machado por suposta ameaça de morte a Bruno Vicintin

Ministério Público marcou audiência para o dia 16 de abril que poderá resultar na suspensão do processo

A 8ª Promotoria de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) ofereceu denúncia, no dia 11 de janeiro, contra o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, por uma suposta ameaça de morte ao ex-dirigente celeste Bruno Vicintin. A informação foi divulgada inicialmente pelo UOL e confirmada pelo Superesportes.

Segundo a assessoria de imprensa do MP, a denúncia apresentada tem como base o artigo 147 do Código Penal: ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave. A pena varia de detenção de um a seis meses ou multa.

O MP marcou audiência para o dia 16 de abril que poderá resultar na suspensão do processo. Caso o réu aceite a proposta, o processo será suspenso por dois anos (o prazo prescricional fica suspenso).

Segundo o Ministério Público, Itair só poderá aceitar a proposta caso não esteja respondendo a outro processo e se não tiver nenhuma condenação. Além disso, segundo o artigo 89 da Lei 9.099/95, o acusado tem que reparar a vítima do dano e pode ser proibido de frequentar determinados lugares e de sair da comarca onde reside, sem autorização do juiz.

Três audiências já foram marcadas na tentativa de composição cível e transação penal, nos dias 27 de julho, 25 de setembro e 4 de dezembro de 2018. De acordo com o MP, o réu não compareceu em nenhuma delas, enviando apenas advogado. A suspensão do caso só pode ser aceita pelo acusado e seu advogado, na presença do juiz.

Em contato com a reportagem, Bruno Vicintin se limitou a dizer que “este assunto diz respeito ao MPMG, já que foi ele que ofereceu a denúncia”. O Superesportes entrou em contato com Itair Machado, que não respondeu até a publicação desta matéria.

O caso

Em novembro de 2017, momento em que os bastidores políticos do clube estavam agitados em função da disputa presidencial, Bruno Vicintin alegou que foi ameaçado por Itair Machado durante chamada para o telefone do antigo primeiro vice do clube, José Francisco Lemos Filho, no meio de uma reunião que contou com membros da diretoria anterior e atual do Cruzeiro e do conselho deliberativo. Ele protocolou o boletim de ocorrência dez dias depois do ocorrido, porque foi aconselhado pelos dirigentes a ‘esfriar a cabeça’ e deixar o assunto de lado. Na ocasião, Itair Machado negou que tinha ameaçado Bruno Vicintin e disse que iria entrar com uma representação contra ex-dirigente por calúnia e difamação.

Senhor delegado de polícia, a vítima comparece a esta unidade policial informando que:

Em reunião na Sede Administrativa do Cruzeiro Esporte Clube, realizada no dia 13/11/2017, na presença das testemunhas relacionadas em campos específicos, o autor em ligação telefônica com a testemunha José Lemos, proferiu os seguintes dizeres: “… Lemos, eu odeio o senhor Bruno Vicintin e quero que você dê o recado a ele, que se ele não parar de falar de mim na internet eu vou matar ele.” Conforme se expressa.

Destarte, a vítima informa que tal ameaça foi repetida pelo senhor Lemos que repassou as falas do autor a todos presentes na sala da citada reunião.

Insta salientar que a vítima cientificada com relação a condição da reapresentação por se tratar de crime condicionado a representação da vítima, e manifesta aqui seu interesse em dar seguimento ao presente feito.

Registra-se para que sejam tomadas as medidas pertinentes que Vossa Senhoria julgar pertinente a análise dos fatos supra narrados.

Da redação:superesportes

Atlético receberá bônus financeiro se Emerson cumprir meta de jogos no Barcelona

Lateral-direito defenderá clube catalão a partir de 1º de julho

A venda de Emerson ao Barcelona pode render mais dinheiro ao Atlético além do valor divulgado no momento em que a negociação foi concretizada. Se o lateral-direito cumprir uma meta de número de jogos na equipe catalã, o clube alvinegro receberá um bônus, conforme prevê o contrato firmado pelas diretorias.

Em 31 de janeiro, o Atlético anunciou a negociação de Emerson por cerca de 12,1 milhões de euros (R$ 50,8 milhões na cotação da época). O clube alvinegro tem direito a receber 62,5% do valor, que totaliza aproximadamente 7,5 milhões de euros (R$ 31,7 milhões). Dessa quantia, 100 mil euros (R$ 417 mil) foram repassados à Ponte Preta, ex-time do lateral-direito.

“O Atlético fez uma grande venda e ainda tem alguns bônus a receber no caso de realização de alguns sucessos. Há no contrato um plus remuneratório ao Atlético no caso de o Emerson jogar determinadas partidas pelo clube (Barcelona)”, disse o vice-presidente alvinegro, Lásaro Cândido da Cunha.
O dirigente afirmou não poder revelar quantas partidas Emerson precisa disputar e nem qual o valor repassado ao Atlético caso o jogador cumpra as metas estabelecidas. Os primeiros meses de Europa para o jovem de 19 anos serão no Betis, que o terá por empréstimo até o fim da atual temporada europeia. A partir de 1º de julho, o lateral vestirá a camisa do clube catalão.
A venda de Emerson é a segunda maior da história do Atlético. Apenas a transferência de Bernard ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, rendeu mais aos cofres alvinegros. O meia-atacante, à época com 20 anos, foi negociado por 25 milhões de euros (cerca de R$ 77 milhões na cotação da época).
Da redação:superesportes

Conselheiros do Cruzeiro sugerem criação de comissão para fiscalizar empréstimo milionário

Grupo teria participação de membros da situação e da oposição do clube

Os conselheiros do Cruzeiro aprovaram na última segunda-feira, em assembleia no Barro Preto, em Belo Horizonte, a aprovação da captação de um empréstimo de R$300 milhões com um fundo internacional. Depois disso, uma ala de conselheiros do clube solicitou ao presidente Wagner Pires de Sá, responsável pela proposta, a criação de uma comissão para fiscalizar a utilização do dinheiro.

A promessa da diretoria é que todo o montante a ser arrecadado com o fundo estrangeiro terá a finalidade de quitar as dívidas urgentes do Cruzeiro. Conselheiro nato, o desembargador Wanderley Paiva foi quem levou a proposta da criação de uma comissão pareada, com membros da oposição e da situação, ao conhecimento de Wagner Pires.
“Sugeri ao Wagner a criação de uma comissão pareada, com membros da situação e da oposição do clube. Esse grupo seria responsável por fiscalizar como o empréstimo está sendo utilizado, se as dívidas estão sendo quitadas, se o dinheiro está sendo utilizado da forma como tem que ser. Isso dá clareza, transparência ao processo”, disse Paiva ao Superesportes.

“Membros da diretoria me falaram que já existe o Conselho Fiscal, é verdade, mas o Conselho Fiscal só tem membros da situação. Embora sejam todos conselheiros do clube, são da situação”, complementou o desembargador.

Procurado pela reportagem para tratar sobre a solicitação de um grupo de conselheiros, o presidente do Cruzeiro não atendeu aos telefonemas.

Foto: Web

Foto: Web

Na assembleia da última segunda-feira, apenas dois, dos 316 conselheiros presentes, se mostraram contrários à operação financeira. Com a proposta aprovada, a diretoria do Cruzeiro passará a tomar as medidas para, de fato, viabilizar o empréstimo com o fundo internacional, que não teve o nome revelado por cláusula de confidencialidade. A intenção é usar os R$ 300 milhões para quitar dívidas urgentes e passar a ter como credor apenas a instituição estrangeira.
As prioridades são dívidas com clubes, ex-parceiros e agentes por contratações e comissões não pagas. Algumas geraram ações na Fifa. Também estão entre as urgências débitos com instituições financeiras e fornecedores. Estima-se que o valor total do passivo gire em torno de R$ 470 milhões, incluindo impostos já renegociados com o Governo Federal.
O empréstimo
O Cruzeiro informou aos conselheiros que os juros anuais do empréstimo de R$ 300 milhões serão de cerca de 9%. O clube terá um ano e meio de carência, a partir da assinatura do contrato, para começar a pagar a dívida, parcelada em sete prestações semestrais.
A cúpula celeste garantiu ainda que nenhum patrimônio imobilizado do Cruzeiro será colocado como garantia em uma eventual inadimplência. Nesse cenário, o credor único receberia receitas proporcionadas por cotas de televisão, rendas com bilheteria e sócio-torcedor, contratos de patrocínio e venda de direitos econômicos de jogadores. A direção também prometeu manter o departamento de futebol competitivo e forte na briga por títulos.
Da redação:superesportes

Vice do Atlético revela valores pedidos por Tardelli em negociação que não vingou

Ídolo do clube alvinegro, atacante de 33 anos acertou com o Grêmio

Vice-presidente do Atlético, Lásaro Cândido da Cunha revelou ao Superesportes os valores pedidos pelo atacante Diego Tardelli durante as negociações com o clube alvinegro. O fator financeiro foi o grande empecilho nas tratativas com o jogador de 33 anos, que foi apresentado como reforço do Grêmio nesta quarta-feira.

“Ele pediu R$ 40 milhões por duas temporadas. Nós dissemos para ele: ‘Isso não é possível. Qual o menor preço que você chegaria?’. Ele: ‘R$ 35 milhões’ (por duas temporadas). Então, negócio encerrado. Sem chance. Nem chegou proposta. Não dá. Não tem proposta. O Atlético não vai fazer loucura. Sem chance nenhuma”, frisou Lásaro à reportagem na noite desta quarta, durante o Troféu Telê Santana.
O valor de R$ 40 milhões em duas temporadas faria com que os vencimentos mensais de Tardelli fossem um pouco superiores a R$ 1,5 milhão, se considerados 24 meses e outros dois referentes ao 13º salário. Se o jogador aceitasse os R$ 35 milhões, a quantia cairia para R$ 1,3 milhão por mês.
Lásaro disse que, por esses valores, a diretoria do Atlético sequer ofereceu proposta a Tardelli, que, em duas passagens pelo clube, somou 110 gols em 219 jogos. Segundo o dirigente, a possibilidade de extrapolar o limite financeiro só existiria se a negociação fosse com ‘astros’.
“A pretensão que ele formulou ao Atlético não era possível realizar. Mais de R$ 1 milhão de salário… A chance é nenhuma. Nenhuma. O Sérgio (Sette Câmara, presidente do Atlético) tem se posicionado dessa forma. E eu concordo com isso. Numa situação excepcional, se fosse um grande astro, no sentido mais amplo, aí poderia até cogitar uma hipótese de envolvimento de outros, um patrocínio específico. Mas, no caso do Tardelli, que é um grande jogador, mas que, ao nosso ver, nós não temos condição de pagar mais de R$ 1 milhão por mês”, continuou Lásaro.
O dirigente disse entender o posicionamento de Tardelli e reforçou que, para o Atlético, a relação com o jogador não está abalada. “A gente respeita muito o Tardelli e os jogadores que passaram pelo Atlético e fizeram história. Está com todo o direito de querer o máximo. Faz parte do espetáculo e do objetivo de cada um. Nas negociações que ocorreram, ele não reduziu (mais). Então, nós encerramos tranquilamente, sem mágoas, sem problema nenhum. Ele segue a vida dele, e nós seguimos a nossa. O Atlético tem sua história e independe das pessoas que aqui passam, inclusive presidentes, dirigentes. Saem, vão embora, e o clube continua”, disse.
Da redação:superesportes

Levir cita salário atrasado do elenco e pedida de R$ 1 milhão de Tardelli para justificar desistência do Atlético em contratação

Treinador disse que diretoria do clube teve bom senso ao tomar a decisão

O técnico Levir Culpi considerou correta a decisão do Atlético em não avançar na negociação por Diego Tardelli, anunciado nesta terça-feira como reforço do Grêmio. Em entrevista coletiva depois da vitória por 3 a 2 sobre o Danubio-URU, no Independência, pelo duelo de volta da segunda fase da Copa Libertadores, o treinador considerou a pedida salarial de R$ 1 milhão do atacante elevada para os padrões do clube, que ainda não pagou os vencimentos do elenco do mês de janeiro.

“Olha, é muito fácil para mim responder essa pergunta. Todos nós gostaríamos de contar com o Tardelli. É um jogador de alto nível técnico que realmente encaixaria no time. Não tenho muitas dúvidas. Agora, entre escolher o jogador e deixar todo o elenco com problema de pagamento, porque o pagamento está atrasado. Quer dizer, você ficar trazendo mais jogadores ainda, recebendo 1 milhão por mês (…). A gente tem que entender essa situação. Todo mundo gostaria de ter um atleta, mas para mim é um sonho. Se fosse eu o presidente, jamais contrataria. Se eu fosse presidente. Como técnico, quem é que não gostaria de ter o Tardelli? Só que têm outras contas para pagar. Então você acaba destruindo um ambiente, que pode ficar até ruim dependendo de uma situação dessas. A carga em cima do Tardelli seria pesadíssima. Acho que foi um bom senso”.
Para Levir, se o Grêmio tem condições de arcar com as exigências do atleta, fez um bom negócio. No caso do Atlético, questões financeiras pesaram na decisão do presidente Sérgio Sette Câmara. “Parabéns para o time que conseguiu contratá-lo, porque ele é uma ótima pessoa, um ótimo profissional e um grande jogador. Estou dando a minha opinião, cada um pode ter opinião diferente da minha, mas eu acho que a diretoria agiu corretamente”, declarou o comandante.
Diego Tardelli será jogador do Grêmio pelas próximas três temporadas. A imprensa gaúcha noticia que o atacante pode receber mais de R$ 1 milhão mensais, contando luvas e bonificações. Sonho antigo do técnico Renato Gaúcho, o ex-camisa 9 atleticano marcou 20 gols em 28 partidas pelo Shandong Luneng, da China, em 2018.

Foi pelo Galo que Tardelli viveu a melhor fase da carreira. Os 110 gols contabilizados por ele em 219 jogos o deixam na 15ª posição entre os maiores artilheiros da história do clube. Com a camisa alvinegra, o atacante ganhou cinco títulos oficiais: dois Campeonatos Mineiros (2010 e 2013), uma Copa Libertadores (2013), uma Copa do Brasil (2014) e uma Recopa Sul-Americana (2014).

Salário atrasado

A diretoria do Atlético comentou a declaração de Levir Culpi a respeito do atraso salarial. Em comunicado, o clube explicou que o treinador se referia ao ordenado de janeiro, com vencimento no quinto dia útil de fevereiro. O pagamento será realizado até esta sexta-feira, independentemente dos valores referentes à venda do lateral-direito do Emerson, adquirido em conjunto pelos espanhóis Betis e Barcelona, por R$ 50,7 milhões. Detentor de 62,5% dos direitos econômicos do atleta, o Galo ficará com R$ 31,7 milhões dessa transação.

Da redação:superesportes

Atlético sofre, mas conta com Ricardo Oliveira inspirado para vencer Danubio e avançar na Libertadores

Após abrir 3 a 0, time mineiro viu uruguaios reduzirem vantagem e aumentarem pressão num Independência lotado, mas conseguiu garantir a classificação

Parecia que não haveria sofrimento nesta terça-feira. Parecia. Arrasador nos contra-ataques e com Ricardo Oliveira inspirado, o Atlético abriu 3 a 0 sobre o Danubio com apenas 27 minutos de jogo no Independência, em Belo Horizonte. Apesar do cenário adverso, os uruguaios não desistiram, conseguiram encurtar a vantagem e pressionar os donos da casa, que jogavam diante de mais de 22 mil pessoas no Horto. Mas, no fim das contas, deu Galo. Vitória no sufoco por 3 a 2. O suficiente para garantir vaga na terceira fase da Copa Libertadores.

Logo aos 14’, Luan abriu o placar. Ricardo Oliveira, em grande noite, fez aos 25’ e aos 27’ de jogo. No último lance da etapa inicial, Carlos Grossmüller diminuiu para o Danubio em cobrança de um pênalti cometido por Patric. Aos 14’ do segundo tempo, Pablo Siles acertou chutaço de fora da área e colocou fogo no jogo. Mas o Atlético conseguiu se segurar e garantir a vaga.
Com os dois marcados nesta terça-feira, Ricardo Oliveira se tornou o artilheiro isolado da Copa Libertadores, com quatro gols. O de pênalti, inclusive, foi o de número 400 do Atlético como mandante no novo Independência, estádio reinaugurado em abril de 2012.
Classificado, o Atlético enfrentará o Defensor-URU na terceira fase. Os uruguaios eliminaram o Barcelona de Guayaquil em uma série marcada por polêmica. Na partida de ida, os equatorianos venceram por 2 a 1 em Montevidéu. O resultado, entretanto, se transformou num 3 a 0 a favor dos adversários por conta da escalação irregular do volante Sebastián Pérez.

Na volta, nova vitória do Barcelona, no estádio Monumental. O 1 a 0, entretanto, não foi suficiente para eliminar o Defensor.A partida de volta está marcada para esta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no estádio Monumental.

As partidas da terceira fase serão disputadas nas duas próximas semanas, com datas ainda não definidas pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Os jogos de ida estão previstos para os dias 19, 20 e 21 de fevereiro. Os de volta, entre 26 e 28 do mesmo mês. Por estar melhor posicionado no ranking da entidade, o Atlético será o mandante do segundo duelo.

Antes de entrar em campo novamente pela Copa Libertadores, o time terá pela frente uma partida da sétima rodada do Campeonato Mineiro. A partir das 19h deste sábado, os comandados do técnico Levir Culpi recebem o Tupi, no Independência.
Atlético avassalador
Sem medo, o Danubio escolheu não recuar como estratégia para conter a tradicional pressão inicial do Atlético no Independência. Nos primeiros minutos, era comum ver pelo menos quatro jogadores – Federico Rodríguez, Carlos Grosmüller, Leandro Onetto e Denis Olivera – avançados para marcar a saída de jogo rival. Houve momentos em que apenas os quatro atletas da linha defensiva ficaram atrás do meio-campo.
Pressionados, os donos da casa tiveram dificuldade para criar ocasiões de perigo nos primeiros momentos da partida. Mas quando conseguiram trocar passes e se movimentar, os jogadores do Atlético já abriram o placar. Aos 14’, Cazares finalizou de fora, em cima do goleiro Cristóforo. Destaque na partida de ida com boas intervenções, o arqueiro uruguaio rebateu mal para a pequena área. Luan aproveitou a sobra e concluiu para o fundo das redes: 1 a 0.
Foto: Web

Foto: Web

Minutos depois, o Atlético chegou com perigo mais uma vez. Após boa trama pela direita, Elias se atirou na bola com um carrinho, mas finalizou sem direção. O Danubio tentava pressionar, mas deixava a defesa aberta. E aí os donos da casa aproveitaram. Num contra-ataque, Ricardo Oliveira arrancou de trás do meio-campo, deixou dois marcadores para trás e fintou Cristóforo, que só conseguiu parar a jogada com pênalti. Na cobrança, o centroavante assumiu a responsabilidade – que geralmente é do lateral-esquerdo Fábio Santos – e deslocou o goleiro adversário com frieza: 2 a 0.

Demorou pouco para a vantagem aumentar. Em novo contra-ataque, Cazares deu passe milimétrico para Ricardo Oliveira. O experiente centroavante de 38 anos partiu em velocidade, fintou Cristóforo e finalizou para as redes: 3 a 0.

Fragilizado defensivamente, o Danubio ficava com a bola por mais tempo. Entretanto, o máximo que os uruguaios conseguiam eram finalizações de fora da área, que passavam sem perigo para o gol defendido por Victor. Aos 43’, a sobrevida: Patric fez pênalti em Onetto. Na cobrança, Grossmüller deslocou Victor e marcou o primeiro: 3 a 1.

Apreensão, mas vitória
No intervalo, Levir Culpi tirou Patric – que recebeu cartão amarelo em função do pênalti cometido – para a entrada do jovem Guga, de apenas 20 anos. Assim como em todo o primeiro tempo, o Danubio tentou pressionar. Com dificuldades para entrar na área atleticana, os uruguaios resolveram arriscar de longe mesmo. E deu certo. Pablo Siles acertou uma bomba, e Victor não conseguiu impedir o segundo: 3 a 2.
A torcida do Atlético – que lotou o Independência – se mostrou apreensiva. Afinal, bastava um gol para que o Danubio conseguisse a classificação. Das arquibancadas, gritos de “Eu quero raça do time todo” e “Vai para cima deles, Galo” começaram a ecoar mais fortes. As críticas às decisões do árbitro argentino Patricio Loustau se intensificaram.
Em campo, os contra-ataques que tanto fizeram a diferença no primeiro tempo não eram mais tão efetivos assim. Diante desse cenário, o técnico Levir Culpi resolveu mexer no time aos 28’. O volante José Welison entrou no lugar de Elias para dar mais força defensiva ao meio-campo. Pouco depois, Maicon Bolt substituiu Luan.
Apesar do clima de tensão, o Atlético criava esporádicas oportunidades – como uma linda cobertura de Cazares, que parou no travessão – e conseguia se segurar sem sofrer com lances de perigo do Danubio. E foi assim até o fim. No sufoco, os donos da casa conseguiram manter a vantagem e garantiram a classificação à terceira fase da Copa Libertadores.
ATLÉTICO 3 X 2 DANUBIO
Atlético
Victor; Patric (Guga, no intervalo), Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson e Elias (José Welison, aos 28’ do 2ºT); Chará, Cazares e Luan (Maicon Bolt, aos 31’ do 2ºT); Ricardo Oliveira
Técnico: Levir Culpi
Danubio
Cristóforo; Sergio Felipe, Renzo Ramírez (Emiliano Ghan, aos 38’ do 2ºT), Ernesto Goñi e Leandro Sosa; Pablo Siles e Gonzalo Montes; Denis Olivera (Maicol Ferreira, aos 32’ do 2ºT), Carlos Grossmüller e Leandro Onetto; Federico Rodríguez (Juan Gutierrez, aos 31’ do 2ºT)
Técnico: Marcelo Méndez
Gols: Luan, aos 14’, Ricardo Oliveira, aos 25’ e aos 27’ do 1ºT (ATL); Grosmüller, aos 46’ do 1ºT, e Pablo Siles, aos 14’ do 2ºT (DAN)
Cartões amarelos: Patric, aos 43’ do 1ºT, Fábio Santos, aos 9’, e Elias, aos 25’ do 2ºT (ATL); Denis Olivera, aos 17’, Juan Gutierrez, aos 33’, e Maicol Ferreira, aos 39’ do 2ºT (DAN)
Público: 22.205 torcedores
Renda: R$ 772.179,00
Motivo: jogo de volta da segunda fase da Copa Libertadores
Local: Independência, em Belo Horizonte
Data e horário: terça-feira, 12 de fevereiro de 2019, às 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Loustau (ARG)
Assistentes: Diego Bonfa (ARG) e Ezequiel Brailovsky (ARG)
Da redação:superesportes

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm