FAB_01

 

Veja cinco curiosidades do Cruzeiro para a final do Mineiro contra o Atlético

Times decidem título do Estadual neste sábado, às 16h30, no Independência

Atlético e Cruzeiro se enfrentam neste sábado, a partir das 16h30, no Independência, pela partida de volta da final do Campeonato Mineiro. Na ida, melhor para o time celeste, que venceu por 2 a 1, no último domingo, no Mineirão. Para ser campeão, a Raposa precisa apenas do empate. Veja cinco curiosidades sobre o Cruzeiro para a final do Estadual contra o Atlético:

1) Primeiro título no ‘novo’ Independência?

O possível troféu do Cruzeiro neste sábado sentenciaria o fim do ‘jejum’ no ‘novo Independência’. Embora tenha levantado o troféu de hexacampeão da Copa do Brasil em partida festiva no Horto, o time celeste jamais venceu um campeonato atuando no estádio, reformado em 2011. Na última oportunidade que teve, acabou derrotado pelo Atlético na final do Campeonato Mineiro de 2017. E agora, a história será diferente?

2) Invencibilidade contra brasileiros

Foi justamente essa decisão do Estadual de 2017 que marcou o último revés do Cruzeiro em mata-matas para equipes brasileiras. Desde então, o clube superou todos os adversários nacionais nas disputas diretas. Na Copa do Brasil de 2017, o clube eliminou Chapecoense, Palmeiras e Grêmio antes de vencer o Flamengo na decisão. Já em 2018, a Raposa bateu Patrocinense, Tupi e Atlético para ser campeão do Mineiro. Na Copa do Brasil, chegou ao hexacampeonato superando Atlético-PR, Santos, Flamengo, Palmeiras e Corinthians. Em 2019, o clube alcançou vaga na decisão derrotando Patrocinense e América nas quartas e semifinais, respectivamente.

3) Fred: três vezes artilheiro no século

Fred tem a artilharia do Campeonato Mineiro praticamente garantida. Ele já anotou 11 gols na competição, três a mais do que Alerrandro, do Atlético, que nem é utilizado como titular na equipe do técnico Rodrigo Santana. Ricardo Oliveira, o terceiro colocado, tem sete tentos marcados. Se confirmar essa conquista, o camisa 9 do Cruzeiro será artilheiro do torneio pela terceira vez no século. Antes, ele foi o autor do maior número de gols nas edições de 2005 (Cruzeiro) e 2017 (Atlético).

4) Fábio: próximo de liderar outro ‘ranking’ 

Jogador com mais partidas pelo Cruzeiro na história – são 852 -, o goleiro Fábio poderá ultrapassar as lendas Raul e Dirceu Lopes no ranking de maiores campeões pelo clube. Se levantar o troféu do Campeonato Mineiro, o camisa 1 chegará ao número de 12 conquistas pela Raposa. Atualmente, ele tem 11, atrás de Ricardinho (15), Marcelo Ramos (14), Piazza (13), Zé Carlos (12) e Nonato (12).

5) Mais um Estadual invicto?

Neste sábado, diante do Atlético, o Cruzeiro terá a oportunidade de conquistar um título do Campeonato Mineiro de maneira invicta pela 12ª vez em sua história. Desde a criação da competição, o clube celeste já levantou o troféu do Estadual sem ser derrotado em 1926, 1929, 1930, 1944, 1968, 1969, 1992, 1994, 2003, 2009 e 2014. Caso o clube confirme o caneco, seria o 39º Mineiro de sua história.
Da redação:superesportes

Veja cinco curiosidades do Atlético para a final do Mineiro contra o Cruzeiro

Times decidem título do Estadual neste sábado, às 16h30, no Independência

Atlético e Cruzeiro se enfrentam neste sábado, a partir das 16h30, no Independência, em Belo Horizonte, pela partida de volta da final do Campeonato Mineiro. Na ida, melhor para o time celeste, que venceu por 2 a 1, no último domingo, no Mineirão. Para ser campeão, o Galo precisa vencer.
Veja cinco curiosidades sobre o Atlético para a final do Mineiro contra o Cruzeiro:

1) Chance de igualar Inter, Ceará e Remo

Se vencer, o Atlético conquistará o Campeonato Mineiro pela 45ª vez e igualará a marca o Internacional, maior campeão gaúcho. Ceará e Remo também tem 45 troféus estaduais, mas podem conquistar o 46º neste domingo. Apenas ABC (55), Bahia (47), Paysandu (47) e Rio Branco (47) ganharam mais vezes.

2) Última taça de Leonardo Silva?

O título mineiro pode ser o último da vitoriosa carreira do zagueiro Leonardo Silva. O defensor de 39 anos tem contrato apenas até o fim deste semestre e, a princípio, se aposentará. Jogador e diretoria alvinegra negociam ampliação do vínculo até dezembro.

3) A primeira vez de técnico e jovens

Pode ser o primeiro título da carreira do técnico interino Rodrigo Santana, que, em 2017, ganhou a simbólica taça de campeão do interior de Minas Gerais com a URT. Além dele, 14 jogadores do elenco buscam o primeiro troféu como profissional: Guga, Alerrandro, David Terans, Iago Maidana, Hulk, Bruninho, Leandrinho, Michael, Marquinhos, Neto, Martín Rea, Renan Guedes, Matheus Stockl e Alessandro Vinícius.

4) Interino campeão há quase 40 anos

Se for campeão, Rodrigo Santana não será o primeiro técnico interino a conquistar o título mineiro pelo Atlético. Em 1982, o preparador físico Antônio Lacerda, ex-goleiro do Democrata-SL, assumiu provisoriamente a vaga do demitido Barbatana. Foram seis jogos sob o comando do interino, com cinco vitórias e uma derrota. Ao fim da fase final, título alvinegro, com o Cruzeiro vice-campeão.

5) Taças no Horto

O Atlético foi campeão mineiro no ‘novo’ Independência duas vezes: em 2012, sobre o América, e em 2017, ao bater o Cruzeiro. Rival deste sábado, o time celeste nunca conquistou uma taça no estádio desde a reinauguração, em 2012.
Da redação:superesportes

Invencibilidade, poder ofensivo e artilheiro: trunfos do Cruzeiro para manter vantagem e ser campeão mineiro

Raposa joga por empate no clássico contra o Atlético, sábado, no Independência

Em vantagem na final do Campeonato Mineiro por ter ganhado do Atlético por 2 a 1, no Mineirão, o Cruzeiro se inspira na boa campanha de 2019 para manter o rendimento no jogo de volta. A invencibilidade no ano, o poder ofensivo da equipe e o faro de gol de Fred são trunfos da Raposa, que dependerá de empate no clássico de sábado, às 16h30, no Independência, para levantar a taça do estadual pela 38ª vez.
O último revés do Cruzeiro foi há quase cinco meses, em 25 de novembro de 2018: 2 a 0 para o Flamengo, no Mineirão, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois, o time encerrou a participação na Série A empatando por 0 a 0 com o Bahia, fora de casa.
Em 2019, a diretoria reformulou o elenco, liberando atletas pouco aproveitados, casos de Mancuello e Bruno Silva, e contratando reforços para serem titulares, como os meias Rodriguinho e Marquinhos Gabriel. Um dos frutos desse planejamento é a sequência de 19 partidas sem derrota.
No Mineiro, o Cruzeiro venceu 11 jogos e empatou quatro. Na Libertadores, tem 100% de aproveitamento no Grupo B, com 12 pontos em quatro rodadas. No geral, marcou 43 gols (média de 2,26 por partida) e sofreu apenas oito. A equipe só passou em branco no empate por 0 a 0 com o América, no Independência, pela primeira fase do Estadual. Nos 18 duelos restantes, fez dois ou mais gols em 13 ocasiões.
O principal nome do setor ofensivo do Cruzeiro é o experiente Fred, de 35 anos, que vive fase extraordinária na carreira, com 14 gols em 15 jogos em 2019. No clássico de domingo, ele chegou a fazer o terceiro da Raposa, porém o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães anulou a jogada após consulta ao assistente de vídeo (VAR). No lance, o centroavante cabeceou a bola no próprio braço antes de balançar a rede.
No Mineiro, Fred soma 11 gols e provavelmente será o artilheiro, já que Alerrandro e Ricardo Oliveira, ambos do Atlético, têm oito e sete, respectivamente. Em 2017, quando vestiu a camisa alvinegra, o camisa 9 foi o goleador máximo do Estadual, com 10, e também se sagrou campeão.
Outros destaques ofensivos do Cruzeiro são Rodriguinho e Marquinhos Gabriel, com quatro gols cada. Este último foi o responsável por abrir o placar no jogo de ida, ao receber passe de Fred e contar com desvio de Leonardo Silva na finalização. No segundo tempo, ele esteve perto de anotar mais um, em chute colocado da entrada da área, mas parou em ótima defesa de Victor.
Defensivamente, o Cruzeiro também está em alta, principalmente em função da segurança transmitida pelo goleiro Fábio e do entrosamento entre os zagueiros Dedé e Leo e os volantes Henrique e Lucas Romero. Em 2019, o time ficou sem sofrer gol em 13 dos 19 jogos, sendo seis de maneira consecutiva, e foi vazado duas vezes somente no empate com o Boa, por 2 a 2 (quarta rodada da primeira fase), e na vitória sobre o América, por 3 a 2 (jogo de ida da semifinal).
O zagueiro Leo acredita que o Cruzeiro tem condições de manter os números favoráveis e se sagrar campeão no Independência. “Conseguimos fazer um bom jogo (no Mineirão), inverter a vantagem do adversário. Ao meu ver, fizemos um bom jogo. Sabíamos que o jogo seria difícil, se tratando de um clássico, uma final, tudo que envolve. Tínhamos o objetivo de inverter a vantagem que era do adversário, e conseguimos. É um duelo de 180 minutos e estamos cientes e preparados para trabalhar, focar, dedicar, e cumprir o nosso objetivo no final de semana para conquistar mais um título”.
Principais artilheiros do Cruzeiro em 2019
Fred – 14 gols
Rodriguinho – 7 gols
Marquinhos Gabriel – 4 gols
Raniel, David e Rafinha – 3 gols
Robinho e Leo – 2 gols
Retrospecto do Cruzeiro em 2019
19 jogos
15 vitórias
4 empates
0 derrota
43 gols marcados
8 gols sofridos

Tags: Campeonato M

Da redação:superesportes

 

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm